Por thiago.antunes

Rio - A dificuldade de aposentados do INSS em acompanhar os descontos do empréstimo consignado levou o Conselho de Previdência do Rio a aprovar uma recomendação: que o contracheque informe o número de parcelas e as que já foram pagas. Atualmente, o segurado visualiza apenas o valor dos descontos. Não há nada sobre a quantidade de cotas quitadas.
A proposta foi enviada para ser analisada e referendada pelo Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS), em Brasília, e o presidente do INSS, Lindolfo Sales. Ele tem a prerrogativa de determinar à Dataprev a implantação do mecanismo, caso considere a medida viável.

A iniciativa de apresentar o pedido partiu do representante da Cobap no conselho do Rio, Emiliano Justino. A ideia acabou aprovada por unanimidade e a recomendação repassada a Brasília. O conselheiro que representa os aposentados alegou que os dados contidos no contracheque não esclarecem posição atualizada dos descontos em folha.

“O objetivo é facilitar a vida do aposentado para que não seja enganado pelos bancos. Ele terá controle maior das parcelas descontadas no contracheque, evitando que seja enrolado, por exemplo, na hora de renegociar uma dívida. A medida vai corrigir uma falha na falta de informação”, explicou Justino à coluna.

Representantes do Conselho de Previdência Social do Rio visitaram a agência Aristides Caire%2C no MéierDivulgação

Gerente-Executivo da Gerência Centro do INSS e presidente do conselho do Rio, Flávio Souza ressalta que a proposta será benéfica também em outro aspecto. Hoje, para que o aposentado consiga o demonstrativo com o número de parcelas pagas do consignado, ele precisa ir até a uma agência do INSS para pedir o documento. A informação constando no contracheque vai evitar que o segurado tenha que ir a uma unidade.

“É uma das grandes demandas das agências (emissão de demonstrativo de parcelas do consignado). Se for aprovado, vai diminuir o fluxo de segurados nas agências. Poderemos direcionar o atendimento para outros serviços”, avalia o gerente.

Dados do INSS mostram que de 189 mil serviços prestados em todo o país, 129 mil são referentes aos chamados atendimentos diversos. Os pedidos de emissão de demonstrativo de consignado compõem a maior parte desse universo. No Rio, atendimentos diversos representam 67% da demanda das agências da Previdência Social.

Grupo de trabalho analisou

Antes de ser aprovada, a proposta de criação de um campo no contracheque com informação sobre o número de parcelas pagas do consignado passou por um grupo de trabalho. A possibilidade foi analisada e o projeto elaborado.

O grupo de trabalho foi instituído pelo Conselho de Previdência do Rio, que verificou dados no sistema do Ministério da Previdência Social disponíveis para agências do INSS e outros recursos que fornecem informações relativas à quantidade de parcelas de empréstimos consignados.
Diante do parecer favorável, os conselheiros do Rio aprovaram a recomendação por unanimidade.

“A mudança vai ajudar a proteger o aposentado” Emiliano Justino - representante da Cobap

“Os aposentados têm dificuldades de acompanhar os descontos das parcelas dos empréstimos consignados. O contracheque não mostra qual a parcela que está sendo descontada nem quantas faltam. No demonstrativo vem somente o valor da parcela daquele mês. A mudança vai ajudar muito a proteger o aposentado dos bancos que volta e meia enrolam os segurados na hora de renegociar uma dívida”.

Sugestões são enviadas

Aposentados em geral podem participar apresentando propostas para o conselho. É só enviar sugestão pelo [email protected].

O conselho do Rio foi reativado no meio deste ano. Os conselheiros tomaram posse em 27 de junho. O grupo é formado por representantes dos aposentados, trabalhadores, empresários e do governo. O objetivo é propor sugestões e elaborar políticas para idosos. Na semana passada, o grupo visitou algumas agências no Rio, entre elas a Aristides Caire, no Méier.

Você pode gostar