Empresa de energia de Eike tem novo fôlego sob gestão da E.ON

Fora da lista dos mais ricos do mundo e vivendo turbulência nos negócios, ex-magnata tem conseguido repassar parte dos bens e negociar dívidas

Por O Dia

Rio - Embora não seja mais bilionário e tenha sumido da lista dos 100 mais ricos do mundo, segundo levantamento da agência Bloomberg divulgado ontem, nem tudo está perdido na vida do ex-magnata Eike Batista. Isto porque ele tem obtido algumas vitórias na tentativa de repassar parte de seus ativos ou renegociar dívidas. A maior delas é a entrada do grupo alemão E.ON como novo controlador da MPX Energia, que agora se chama Eneva.

O negócio envolveu R$ 1,415 bilhão e hoje os alemães detém 37,9% da empresa, sendo seu principal controlador. A aquisição subtraiu a companhia do Grupo EBX, tornando a empresa independente, mas Eike continua no empreendimento, com 23,9%, porém sem influência direta no desenvolvimento da empresa.

Há dois meses iniciaram as operações das usinas de Pecém II, no Ceará, e Parnaíba III, no Maranhão, aumentando a capacidade instalada da Eneva para mais de 2.300 megawatts. Trata-se do total bruto, ou seja, somadas às demais usinas que são Pecém I, Tauá (Ceará), Parnaíba I, Itaqui (Maranhão) e Amapari (Amapá). Outros 500 megawatts estão em construção.

Na última semana a Eneva finalizou o processo de aquisição da OGX Maranhão, petroleira pertencente à holding OGX. O grupo E.ON, em parceria com o fundo de investimentos Cambuhy, anunciou investimentos de R$ 250 milhões. Os novos controladores adquiriram ações pertencentes ao Banco Itaú, Santander e Grupo EBX.

ITAÚ VENDE AÇÕES DA OGX

Ontem, o Banco Itaú divulgou fato relevante informando a venda de 7,27% de suas ações na holding OGX, reduzindo sua participação para apenas 0,52%. Em nota, a instituição ressaltou que “o negócio reflete o rebalanceamento da carteira dos fundos passivos”, em função da exclusão da petroleira dos índices da BM&FBovespa.

Também ontem, a empresa de construção naval OSX, jóia da coroa do Grupo EBX, conseguiu refinanciar sua dívida de R$ 400 milhões com a Caixa Econômica e o Banco Santander. A notícia é um alento ao mercado, pois a companhia cogitava pedir recuperação judicial, a exemplo da OGX, devido a sua capacidade de pagamento comprometida (falta de liquidez).

Comissão Especial do Porto do Açu

Comissão Especial do Porto do Açu

Às 10 horas de hoje acontece na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) a segunda audiência pública da Comissão Especial para acompanhar a real situação dos investimentos no Complexo Logístico Portuário do Açu, no norte fluminense, e a situação dos trabalhadores e colaboradores envolvidos no empreendimento.

Representantes da LLX Logística devem participar, além dos prefeitos e vereadores dos municípios de Campos dos Goytacazes, São João da Barra e São Francisco de Itabapoana.

Os três primeiros mais ricos, segundo a Bloomberg

Levantamento da Bloomberg classifica os cem homens mais ricos do mundo. Nos três primeiros lugares reaparecem o norte-americano Bill Gates, (Microsoft, US$ 72,9 bilhões). Em seguida vem o mexicano Carlos Slim (América Móvil, US$ 65,5 bi) e o espanhol Amancio Ortega (Indústria Inditex, US$ 61,9 bi).

Há dois brasileiros entre os cem mais ricos do mundo, segundo o levantamento, sendo Jorge Paulo Lemman, da 3G Capital (dona da Ambev e Burger King, entre outras empresas, com US$ 21,5 bi); e Joseph Safra (Grupo Safra, US$ 13 bi).

Últimas de _legado_Economia