Por bferreira

Rio - Agora é possível simular o custo do financiamento da fatura do cartão de crédito e quantas parcelas serão necessárias para quitação dessa dívida quando o cartão não for pago integralmente à vista. A facilidade foi anunciada ontem pelo Banco Central (BC) como uma nova funcionalidade na Calculadora do Cidadão.

Com esta ferramenta, os clientes de cartão poderão simular o financiamento do valor da fatura. “As simulações ajudam a entender a relação entre o custo dos juros e o pagamento do cartão: mostram que quanto maior for o pagamento da fatura à vista, menos juros serão pagos. Um bom planejamento evita o acúmulo de dívidas”, diz o BC em nota. A ferramenta vai ajudar o consumidor a comparar o custo do financiamento do crédito rotativo do cartão com outras três opções de crédito: o consignado, o empréstimo pessoal e o cheque especial. Para o BC, o consumidor ganha a possibilidade de “avaliar diversas formas de financiamento e assim, fazer escolhas planejadas e conscientes na hora de pagar a fatura”.

Outro benefício apontado pelo Banco Central é que a calculadora ajuda no entendimento do Custo Efetivo Total (CET), uma taxa que resume em um só número os juros, os encargos e as despesas incidentes sobre o financiamento, dando maior transparência ao que é pago sobre uma dívida.

Para ajudar a tomar decisão

Segundo o chefe de subunidade do Departamento de Tecnologia da Informação do Banco Central, Marcelo Antonio Thomaz de Aragão, a ideia é dar a informação no momento em que o cidadão precisa tomar a decisão.

“Será que consigo uma prestação menor, com juros menores? A ideia é criar esse conceito”, disse Aragão.

Segundo ele, o rotativo do cartão de crédito tem suas conveniências, mas pelo risco embutido ele custa mais caro. Aragão diz que a ideia é controlar para que o uso dessa modalidade mais cara não suba junto com a utilização do meio de pagamento. “Queremos o uso consciente e responsável do cartão de crédito”, disse.

Você pode gostar