Por bferreira

Rio - Cerveja de verão com o mesmo o preço da primavera. Essa é a proposta da Ambev para as marcas Skol, Antarctica e Brahma com a campanha “Verão sem aumento”, para cerca de 40 mil estabelecimentos no Rio de Janeiro. A ideia é que bares, restaurantes e quiosques de praia, que aderirem ao movimento, não elevem o valor da bebida até o fim do Carnaval de 2014.

Thaiane Brasil e Daniel Silvares curtem um happy hour no Bar da Boa e brindam o preço estável da cervejaAlexandre Vieira / Agência O Dia

Diretor corporativo de preços e financeiro da Ambev Brasil, Marcelo Michaelis explica que historicamente há um aumento de preço da cerveja no Verão, baseado na inflação do período. Em cima disso, os comerciantes ainda repassam demais custos aos consumidores no preço final. 
“Desta vez, a proposta que estamos levando para os estabelecimentos é que não haja aumento da cerveja. A ideia é manter o preço, vendendo mais e, assim, recuperar a queda no consumo e nas vendas ao longo de 2013, que foi um ponto menor do que 2012”, afirma Michaelis.

LOGOMARCA NOS BARES

Os bares que aderirem à proposta vão expor o cartaz da campanha para o cliente reconhecer que o local não reajustou o preço da bebida. A proposta tem sido apresentada ao varejo do Rio para embalagens retornáveis e recicláveis de 300 ml, 600 ml e um litro.

De acordo com o gerente regional de marketing da Ambev RJ, Bruno Sergio Couto de Oliveira, a receptividade dos bares do Rio tem sido muito boa. Para ele, a adesão antecipa que a política da empresa para reaquecer as vendas está no caminho certo.

Consumidores e comerciantes aprovam preço congelado

Proprietária do bar e depósito RR da Hora, na Lapa, Rosângela Ribeiro da Hora, 36, aderiu ao “Verão sem aumento”. Segundo ela, o cliente, predominantemente jovem, já está acostumado com o preço e, quando o valor sobe, ele bebe menos.

Já os amigos Thaiane Brasil, 25, e Daniel Almeida Silvares, 32, que ontem faziam um happy-hour no Bar da Boa, também na Lapa, aprovaram a medida da Ambev. “Não deve subir nunca”, opinou Thaiane, recepcionista do Hospital de Ortopedia.

Para o eletricista Silvares, o preço da cerveja, que vai de R$ 5 a R$ 8, já está no limite. “Aumentar mais, seria ruim”, disse.

Ambev lidera setor com 68%

Conforme resultados do 3º trimestre de 2013, divulgados pela Ambev no fim de outubro, <MC>o volume total de vendas da companhia no Brasil caiu 4,2%. O resultado não registra o incremento proporcionado pela Copa das Confederações. Foram consumidos 26,9 milhões de hectolitros no período.

Em cerveja, o volume de vendas foi de 19,6 milhões de hectolitros, o que representa queda orgânica de 5%. A média de participação de mercado da Ambev no setor da bebida no terceiro trimestre de 2013 foi de 68%, queda de 0,5% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Superintendente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio (SindRio), Darcílio Junqueira considera ótima a proposta da Ambev e diz que a entidade vai trabalhar para que os associados participam da campanha. “A estabilidade do preço é bom para todos. Para a indústria, para o comércio e para o cliente, que pode consumir mais, e consequentemente as vendas aumentam”, afirma o executivo, ressaltando que o ano de 2013 foi difícil para o setor.

Você pode gostar