Por bferreira

Rio - O carioca vai ter que desembolsar mais para fazer churrasco este fim de ano. O preço do quilo da carne bovina de primeira no Rio foi cotado a R$ 15,37 em novembro, variação de 2,4%. O produto é o principal responsável pela alta da cesta básica, que aumentou 12,44% de janeiro a novembro, emplacando o município em quarto lugar entre as capitais que apresentaram a maior elevação. A cesta com 13 itens está saindo por R$ 316,88 no Rio.

Entressafra fez preço da carne subir desde setembro%2C informou o DieeseCarlo Wrede / Agência O Dia

Economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Patrícia Lino Costa explicou que no Rio a carne de primeira também havia aumentado 3,52% em outubro, considerado o pico da alta. Isto porque o produto vem subindo desde setembro devido à entressafra. “Como o item pesa muito no bolso do consumidor, qualquer variação reflete no custo da cesta básica”, disse.

TODA QUARTA E DOMINGO
Publicidade
A aposentada Ana Maria Fernandes, 61, diz que o filho faz churrasco sempre que tem jogo do Flamengo. Embora ele divida o custo com os amigos torcedores, ela acredita que a frequência dos encontros possa diminuir devido à alta do produto. “Se tem jogo quarta e domingo, eles comemoram nos dois dias, e só compram carne cara como maminha e picanha”, afirma.
De acordo com Elisângela Borges Barreira, sócia-proprietária de um açougue na Rua do Riachuelo, na Lapa, todo o comércio busca lucrar no fim de ano. “O preço da carne de boi aumenta consideravelmente em dezembro. Aí todos aproveitam para ganhar mais” explicou.
Publicidade
O DIA apurou ontem, visitando sites de quatro grandes redes de supermercados do Rio, que o contrafilé, uma das carnes mais compradas para churrasco, custa entre R$ 13,98 o quilo e R$14,98. Em bife na bandeja, 500g do produto foi encontrado a R$11,50. Já 500g desengordurados saem a R$ 19,45.
Porto Alegre foi a capital com o custo mais elevado
Publicidade
De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, as maiores elevações mensais ocorreram em Fortaleza (3,47%), Florianópolis e Belo Horizonte (juntas com 2,67%), e Vitória (2,43%). Houve redução em Goiânia (3,06%), Aracaju (1,73%) e Recife (0,69%).
Apesar da variação em relação a outubro, de 1,18%, Porto Alegre foi, pelo segundo mês seguido, a capital com a cesta mais cara, sendo R$ 328,72. São Paulo ficou em segundo, com R$ 325,56; seguido de Vitória, a R$ 321,41. Já os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 218,71), Goiânia (R$254,44) e João Pessoa (R$257,16).
Publicidade
Para o Dieese, em novembro deste ano o salário mínimo deveria ser R$2.761,58, ou 4,07 vezes o mínimo em vigor (R$ 678). O órgão se baseia no custo da cesta gaúcha e leva em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve suprir as despesas de um trabalhador e família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.
Publicidade
Você pode gostar