Negociação entre estado e policiais civis avança

Categoria pede há dois anos novo plano de cargos e salários, além do pagamento de horas extras e reajuste de benefícios

Por O Dia

Rio - Desde 2011 em busca de negociação com o governo do estado, os policiais civis parecem estar perto de conseguir ter pelo menos algumas de suas reivindicações atendidas. Na última terça-feira, o sindicato da categoria (Sinpol) se reuniu com o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy Barbosa, que, segundo representantes da entidade, deu respostas positivas à pauta apresentada. Porém, na última quinta-feira, houve nova manifestação em frente à sede da secretaria.

Entre as principais reivindicações estão novo Plano de Cargos e Salários, que equipare vencimentos de agentes a de delegados, além de pagamento de horas excedentes na escala de 24 horas trabalhadas por 72 de folga, com adicionais noturnos.

Categoria já fez duas manifestações em frente à Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão%2C e tem mais uma marcada para quinta-feiraDivulgação

Dez itens foram apresentados pela categoria na reunião. Sérgio Ruy disse ser possível avaliar pagamento das horas extras, aumento do tíquete-refeição e do vale-transporte, além de estudar alternativa para incorporação das gratificações aos vencimentos dos cerca de 10 mil policiais civis do estado. Segundo o sindicato, o secretário ficou de estudar o novo plano de cargos.

Nova manifestação

Presidente do Sinpol, Fernando Bandeira afirmou que haverá outro encontro com o secretário em janeiro. Mesmo assim, na próxima quinta-feira a categoria protesta novamente em frente à sede da pasta.

“O Carnaval está chegando, assim como a Copa do Mundo, e esse é o momento para cobrar o reajuste”, informou.

Segundo Bandeira, a maioria dos policiais complementa a renda com trabalho informal. Para ele, salários maiores contribuiriam para a autoestima da corporação, além de minimizar a corrupção. “Os policiais querem poder pagar as contas, sair com a família no fim de semana”, diz.

Procurada, a secretaria informou que Sérgio Ruy ainda está analisando os pontos da pauta de reivindicação e, portanto, ainda não pode dar um parecer sobre o assunto.

Categoria tenta convencer governo Cabral desde 2011

Os policiais civis tentavam, desde 2011, negociar com o governador Sérgio Cabral e até mesmo com o secretário de estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. Durante inauguração da Cidade da Polícia, em setembro, o governador informou que a categoria deveria sensibilizar o secretário Sérgio Ruy. Desde então, houve protesto em frente a secretaria nos dias 12 de novembro e 5 de dezembro.

HIERARQUIA

Transformar os investigadores em oficiais de cartório e inspetores de 6ª, 5ª e 4ª classes.

CARGOS E SALÁRIOS

Plano de Cargos e Salários vinculando o vencimento dos agentes ao dos delegados, incorporando as gratificações existentes.

GRATIFICAÇÃO

Pagamento da Gratificação Especial por Atividade (Geat) aos policiais aposentados, de licença e pensionistas.

BENEFÍCIOS

Reajuste de 100% do vale-transporte e do tíquete-refeição.

HORAS EXTRAS

Pagamento mensal das horas excedentes trabalhadas na escala de 24 por 72 horas.

CRIAÇÃO DE CARGO

Criação do cargo de comissário de polícia a ser ocupado pelos inspetores e oficiais de cartório de 1ª classe.

IMÓVEL

Recuperação do imóvel antes ocupado pelo sindicato, cedido ao Cordão da Bola Preta.

CONCURSO

Concurso anual para a Polícia Civil.

PLANO DE SAÚDE

Plano de saúde para policiais civis da ativa, aposentados e dependentes, pago pelo estado.

CONVOCAÇÃO

Convocação dos aprovados no último concurso de investigador de 3ª classe para Acadepol.

Últimas de _legado_Economia