Por bferreira
Rio - A pós a retomada policial, comunidades pacificadas do Rio entram na fase das garantias sociais. A partir de janeiro, moradores dessas regiões serão beneficiados por serviços da Previdência Social. Conforme a coluna Aposentado do DIA antecipou com exclusividade em maio deste ano, a cada mês, unidade móvel do INSS percorrerá uma região com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). A primeira área a receber o projeto Prev Comunidade será a Cidade de Deus, na Zona Oeste, de 22 a 24 de janeiro do ano que vem. Também haverá ações de educação previdenciária em localidade menores.
A iniciativa do INSS permitirá, por exemplo, que trabalhadores que moram nessas localidades calculem o tempo de serviço para se aposentar, empregados informais façam inscrição no cadastro do INSS e as doméstica verifiquem se os patrões estão em dia com as suas contribuições previdenciárias. Microempreendedores também vão poder se inscrever no programa Empreendedor Individual.
Publicidade
“Vamos inserir essa parte da população que não tem acesso à informação, aos serviços e à proteção da Previdência”, explica Flávio Souza, gerente-executivo responsável pelo projeto.
Depois da Cidade de Deus, serão beneficiadas pelo Prev-Móvel as comunidades do Jacarezinho/Manguinhos, Complexo do Caju, Rocinha, Borel/Formiga, Mangueira, Macacos, Cantagalo/Pavão-Pavãozinho, São Carlos, Vidigal, Salgueiro/Turano e Barreira do Vasco/Tuiti.
Publicidade
A unidade itinerante que percorrerá as comunidades, tem nove pontos para atender 400 segurados por dia, em média. Segundo Souza, o veículo ficará em um ponto estratégico de cada região com UPP. O público será atendido das 9h às 15h.
De acordo com o gerente-executivo, o projeto conta com apoio do comando das UPPs. O objetivo é divulgar os serviços do INSS que podem ser feitos por meio da internet, sem a necessidade de o segurado ter que ir à agência da Previdência Social.
Publicidade
“Só não haverá concessão de benefícios, como aposentadorias e auxílio-doenças, e de perícias médicas. Esses serviços precisam de estrutura complexa. E a unidade móvel não é o ambiente propício para perícia”, explica.