Por tamyres.matos

Rio - O ensino de idiomas pelo celular ganha cada vez mais espaço na relação de serviços das operadoras de celular no país. Só a Vivo contabiliza três milhões de clientes ativos no Kantoo, que reúne recursos de voz, mensagem de texto, aplicativos e sites para facilitar o aprendizado de inglês, espanhol, francês e italiano. Claro, TIM e Oi também oferecem opções similares de produtos.

“Não esperamos substituir os cursos de inglês”, ressalta Alexandre Fernandes, diretor de Produtos e Serviços da Telefônica Vivo. “Nosso objetivo é oferecer um serviço interativo multiplataforma de suporte e reforço do idioma”.

Para Priscila%2C um outro idioma vai ajudar a melhorar o atendimento ao cliente%2C quando a Copa chegarCarlo Wrede / Agência O Dia

Por conta da Copa do Mundo no país, resultando num aumento do fluxo de turistas, o executivo espera uma expansão na demanda por esse tipo de serviço em 2014. A empresa espera crescimento na casa dos dois dígitos para a base de assinantes. Destaca também que a alta está relacionada à ascensão da nova classe média, que busca ter primeiro contato ou ampliar conhecimentos sobre idiomas estrangeiros.

APLICATIVOS

De olho no mercado, a Vivo lança no primeiro semestre de 2014 um aplicativo para smartphones com sistemas Android e iOS, reunindo todas as funcionalidades e versões do Kantoo. Há versões voltadas para mercados específicos, como turismo e negócios. Quando chegou ao mercado brasileiro, o serviço funcionava para celulares mais simples. Em seguida, foi agregada a interação via torpedo e por meio de um site na Internet.

Hoje, o leque de recursos disponíveis inclui também um site para ser acessado por dispositivos móveis e o uso de unidades de resposta automática (URAs). Por meio desses sistemas, o usuário pode gravar frases e comparar sua pronúncia com a de um professor.
“A base de usuários do Kantoo no Brasil é a maior entre os países da América Latina onde a Telefónica atua”, disse o executivo à reportagem.

Curso pelo celular é chance para curiosos e vendedores

Desde o início do ano, Priscila Souza, 29 anos, trabalha em uma barraca de lanches em frente aos Arcos da Lapa. Desde que comprou seu novo celular, recebe diariamente, às 10h20, os torpedos enviados pelo serviço ‘Claro Idiomas’.

“Achei bem interessante a ideia de ir aprendendo outra língua a partir de SMS. O conteúdo das mensagens é bem esclarecedor, geralmente em formato de perguntas e respostas”, disse Priscila, que também elogiou a didática. “Se fossem torpedos com palavras traduzidas, o processo seria mais lento e acho que não surtiria tanto efeito”, completou ela.

A vendedora afirmou que a ideia pode ajudar os trabalhadores informais a atender aos turistas, que chegarão ao Brasil para assistir aos os grandes eventos esportivos.

Otávio Hudson, 19, aprendeu inglês assistindo a filmes legendados, visitando sites e jogando RPG on-line. Para ele, a estratégia funcionou, mas, em sua opinião, o ensino a distância pode não agradar a todos. “Isso vai de cada um. Acho que esses métodos menos ortodoxos podem não servir para todo mundo. Algumas pessoas vão sempre preferir cursos presenciais porque não conseguem ter fluência só pelos sites”, argumentou.

“Mas por outro lado, creio que seja uma boa oportunidade para a pessoa se familiarizar com o idioma”, ponderou ele.

Conteúdo para concurso público e reforço escolar

Com o lançamento do curso de inglês interativo Ideias Idioma, a Claro permite a clientes de planos controle, pré e pós-pagos aperfeiçoar seus conhecimentos por meio de SMS, site para dispositivos móveis e de uma página do serviço na internet. O usuário pode acessar o conteúdo educacional em qualquer hora e lugar.

Na Oi, as ferramentas de aprendizado por meio de dispositivos móveis (m-learning) abrangem tanto idiomas estrangeiros (inglês e espanhol) quanto o português, além de conteúdos voltados para reforço escolar e concursos públicos. Os cursos de português e de reforço foram montados em parceria com o Grupo Positivo, empresa de educação e de tecnologia.

Na TIM, os serviços de ensino de inglês e espanhol por mensagens de texto estão disponíveis desde o ano passado. A escolha do SMS como canal de veiculação do conteúdo foi a forma encontrada pela operadora de garantir a compatibilidade com 100% dos aparelhos móveis da sua base.

Reportagem: Rodrigo Carro, do Brasil Econômico

Você pode gostar