Por tamyres.matos
Rio - Ganhar de Natal um presente e não gostar dele implica em você ter que ir à loja para tentar trocá-lo. Mas não está garantido que o lojista vai querer atender ao pedido. Não há lei que determine a substituição. Nem mesmo o Código de Defesa do Consumidor (CDC) prevê, especificamente, a possibilidade de trocar uma mercadoria pelo simples fato de o cliente não ter ficado satisfeito com ela.
O CDC só permite levar outro produto em caso de defeito na mercadoria. Se o presente não agradou, não serviu ou não era bem da cor esperada, o jeito é contar com a boa vontade do comerciante. A época também pode ser uma boa chance para ver o que restou das vendas natalinas e descobrir boas oportunidades para comprar outros presentes em promoções. Confira as dicas.
Publicidade
Por Marco Quintarelli
PERGUNTA E RESPOSTA
Publicidade
Ganhei uma camisa de amigo oculto mas não gostei e quero trocá-la. Quero ir ao shopping antes do Réveillon e ver se troco a peça e ainda acho alguma promoção. Antes do fim do ano é uma boa época para isso ou aguardo passar as festas?
>Felipe, Nova Iguaçu
Nestes dias depois do Natal e antes do Réveillon é muito comum as pessoas irem trocar os produtos que ganharam e comprar o próprio presente. Passada a noite de Natal, muitas mercadorias foram trocadas e agora é a hora de ver o que agradou, serviu e aquilo que precisa ser substituído, ou ainda o que “eu queria ganhar e acabei não ganhando”. Uma espécie de “balanço pós Natal”.
Publicidade
Essa época é uma boa chance para ver o que restou das vendas natalinas e descobrir boas oportunidades para adquirir seu presente em promoções. Quanto a troca da camisa que não lhe agradou, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) não prevê, especificamente, a possibilidade de mudar um produto pelo simples fato de o consumidor não ter ficado satisfeito com ele. Ou seja: se você ganhou uma roupa que não agradou a cor, um calçado que não lhe serve o tamanho, a princípio, o fornecedor não está obrigado trocar o produto.
Pelo CDC, a substituição só é permitida em caso de defeito na mercadoria. Se o presente não agradou, não serviu ou não era bem da cor esperada, o jeito é contar com a boa vontade do lojista.
Publicidade
Para a sua sorte, aqui no Rio de Janeiro, grande parte das lojas passou a dar mais importância à satisfação do consumidor, por isso a possibilidade da troca tornou-se muito comum. Mas atenção, mantenha o produto íntegro, sem uso e com a etiqueta original. Observe que algumas etiquetas têm prazo para a substituição. Assim , fica mais fácil.
Tome esta observação nas suas compras. Ao adquirir qualquer mercadoria, exija e guarde a nota fiscal do caixa, procure conhecer detalhadamente as condições de troca da empresa e, se possível tenha isto por escrito. Desta forma, fará toda a diferença num eventual problema como este.
Publicidade
Marco Quintarelli é consultor do Grupo AZO