Por tamyres.matos
Rio - Com a chegada de 2014, os consumidores, principalmente aqueles que adotam o cheque pré-datado como forma de pagamento, devem ficar atentos ao preenchimento correto. Para evitar problemas na hora da compensação, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) fez ontem um alerta aos correntistas: as folhas com valores só podem ser aceitas até seis meses após a emissão. Ou seja, quem preencher a data com o ano errado corre o risco de ter o cheque devolvido.
Conforme a instituição, durante o mês de janeiro, “para os cheques datados com o ano de 2013, os bancos vão adotar procedimentos para verificar se os mesmos não foram emitidos além do prazo permitido em norma para sua compensação, que é de seis meses”. A federação informou que se for comprovado que, de fato, houve somente um equívoco do cliente, o cheque será compensado sem problemas.

Outro alerta feito foi sobre a segurança na hora de usar o talão. As dicas são para emitir sempre cheques nominais e cruzados, eliminar os espaços vazios, evitar rasuras e controlar os depósitos na conta para não ficar sem fundos.

Ricardo Guimarães%2C da loja de bebidas Bergut%2C diz que já levou muito prejuízo por conta do uso de chequeAlexandre Brum / Agência O Dia

A Febraban garante que a medida vai beneficiar os clientes, tanto o depositante quanto o emitente. A ideia é minimizar impactos e transtornos nos serviços de compensação dos bancos.

Publicidade
Após ter problemas com cheques de clientes, a loja de bebidas Bergut, no Centro do Rio, deixou de aceitar essa forma de pagamento. O sub-gerente Ricardo Guimarães explicou que mesmo com fregueses cadastrados houve casos de cheques voltando. “Eram valores altos, o que dava prejuízo. Depois tínhamos que entrar na Justiça. Então paramos de aceitar cheques para evitar constrangimentos”, contou.
Vendas de Natal ficam abaixo do estimado pelos comerciantes
Publicidade
Dados da Serasa Experian, divulgados ontem, mostram que as vendas de Natal tiveram o resultado mais fraco desde o início do levantamento, em 2003. A pesquisa mostrou que a movimentação nas lojas cresceu 2,7% em todo o país entre 18 e 24 de dezembro. O pior resultado havia sido registrado em 2011, quando a alta ficou em 2,8%.
Apesar da expectativa de crescimento de 10%, as vendas de Natal dos shopping centers do país atingiram 5% em 2013, na comparação com o ano anterior, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping. O percentual é próximo ao alcançado em 2012, de 6%.