Por thiago.antunes

Rio - O aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, aparece em primeiro lugar em lista que mostra os piores terminais de voos do mundo. A relação foi divulgada nesta sexta-feira pelo Wall St. Cheat Sheet, um site inglês de análise financeira. O maior aeroporto do país está na frente de três norte-americanos, dois europeus, dois asiáticos e dois africanos, considerados os dez piores do mundo. O site chega a recomendar que os turistas evitem usar os terminais.

Para compor a lista, os critérios analisados, segundo o levantamento, foram pontualidade, informação, filas de imigração e espaço físico, entre outros. De acordo com o Wall St. Cheat Sheet, Guarulhos foi premiado com o título de pior do mundo devido aos atrasos de voos, os preços altos nos serviços de alimentação e longas filas para imigração.

Guarulhos foi premiado com o título de pior do mundo devido a atrasos de voos%2C preços altos em serviços de alimentação e filas para imigraçãoBanco de imagens

O aeroporto de Chicago figura como segundo colocado na lista. O principal motivo é a pontualidade na chegada e saída dos voos. Os dois terminais da cidade de Nova York também entraram na lista. O John F. Kennedy ficou em terceiro, por ser considerado o mais feio do mundo, e o de La Guardia está na 7ª posição. O site considerou as dificuldades de acesso de transporte público como principal causa.

Na Europa, o terminal de Paris Beauvais Tille, que está em 5º lugar na listagem apresenta problema de mobilidade, por não ter metrô que leve os passageiros ao centro da capital da França. O aeroporto fecha à noite. O terminal de Heathrow é o 6º no ranking dos piores. O maior de Londres foi considerado feio.

O aeroporto do Chade, na África, em 4º lugar, expõe viajantes a insetos, e o de Nairóbi (6º), no Quênia, funciona com a metade da capacidade. O das Filipinas é cheio, e as greves de funcionários são comuns. No fim da lista, o aeroporto do Nepal é sujo, bagunçado e enfrenta problemas climáticos.

Concessões feitas pelo governo vão resultar em R$ 80,3 bi de investimentos

Levantamento da Secretaria de Acompanhamento Econômico, do Ministério da Fazenda, divulgado nesta sexta-feira revela que as concessões federais licitadas no ano passado serão responsáveis por investimentos estimados em R$ 80,3 bilhões nos próximos 35 anos. As áreas beneficiadas são transporte, energia elétrica, portos, petróleo e gás.

De acordo com a a secretaria, em 2013, foram promovidas 18 licitações nestes setores, além de cinco autorizações de terminais de uso privativo. Devido a obrigações contratuais, a maior parte dos investimentos será implementada nos próximos cinco anos.

O levantamento define a divisão dos investimentos que prevêem R$ 7 bilhões para aeroportos; R$ 2,4 bilhões para portos; R$ 28,7 bilhões em rodovias; R$ 26,6 bilhões em geração de energia; R$ 8,7 bilhões em linhas de transmissão e R$6,9 bilhões em petróleo e gás.

No caso do petróleo e do gás, trata-se apenas dos investimentos estimados para a execução do Programa Exploratório Mínimo, que avalia o potencial comercial dos campos licitados. Os investimentos necessários à exploração comercial efetiva dos campos não estão incluídos.
O levantamento menciona concessão dos aeroportos de Confins (Belo Horizonte), e do Galeão, no Rio, além de Guarulhos, Viracopos e Campinas, privatizados em fevereiro de 2012.

Você pode gostar