Por thiago.antunes

Rio - Férias são sinônimo de diversão, descanso e gastos extras. Com a criançada mais tempo em casa, as despesas da família crescem até 30% no período de recesso escolar. Os passeios, por sua vez, ficaram 8,68% mais caros em 2013 e ultrapassaram a inflação apurada para o Rio de Janeiro ano passado, que foi de 6,05%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-RJ) da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Para aproveitar a folga sem começar o ano no vermelho, a dica dos especialistas é usar a criatividade para planejar atividades com os filhos que não pesam tanto no bolso. Autor do livro Terapia Financeira, Reinaldo Domingos explica que crianças em casa representam despesas maiores, principalmente com alimentação.

O casal Paola Passos%2C 27%2C Jorge Calaro%2C 28%2C levaram o filho Gustavo%2C 9%2C ao boliche com amigos. 'Como viajar está muito caro%2C achamos melhor aproveitar perto de casa'Ernesto Carriço / Agência O Dia

“Quando a família está de férias, o consumo de energia elétrica, água e gás aumentam. Além disso, todos participam das refeições e geralmente se dá preferência a comidas mais elaboradas. No fim das contas, janeiro fica de 20% a 30% mais caro”, diz. Segundo o especialista, o ideal é aproveitar o momento para reunir todos da família e planejar os gastos. “É necessário verificar o que se encaixa no orçamento”, afirma Domingos.

Nesse sentido, é importante que os pais expliquem às crianças que nem sempre será possível atender as suas vontades. Devem oferecer alternativas que estejam de acordo com as finanças. Se o cinema estiver muito caro, por exemplo, vale propor assistir a um filme em casa. A dona de casa Paola Passos, de 27 anos, e o marido Jorge Calaro, de 28, optaram por levar o filho Gustavo, 9, e três amigos no boliche do Norte Shopping, onde o aluguel da pista custa R$ 75, durante a semana.

O propagandista Elio Linhares%2C 32%2C levou a filha Maria Eduarda%2C 8%2C à patinação no gelo nas férias de verãoErnesto Carriço / Agência O Dia

“Como é um preço único, vale a pena. Para economizar, damos preferência a programas mais tranquilos como esse”, disse Paola. A alternativa encontrada pelo propagandista Elio Linhares, 32, foi levar a filha Maria Eduarda, 8, à patinação no gelo. A brincadeira custou R$ 35. “Nesse calor, achei que seria uma boa ideia, até porque ela nunca tinha patinado. E o preço é justo”, afirma.

Novo padrão de consumo

O aumento do poder econômico da classe C gerou também um novo padrão de consumo por parte dessa camada da população. Antropólogo da Consumoteca, Michel Alcoforado explica que existe um interesse dos pais em proporcionar aos filhos aquilo que eles não tiveram na infância, inclusive com relação ao lazer. “O shopping e o cinema passam a fazer parte da vida dessas pessoas nas férias, o que antigamente não acontecia”, revela.

Além disso, aumenta também o acesso a novas experiências gastronômicas, como as redes de fast-food. “A comida japonesa, que antes era consumida apenas pela elite, passa a ganhar as classes mais populares”, exemplifica.

A procura por viagens também ganhou muito destaque entre a nova classe C, segundo Alcoforado. O motivo seria principalmente, segundo ele, as possibilidades de parcelamento e as compras coletivas pela internet. Contudo, o antropólogo acredita que faltam incentivos a outras formas de entretenimento. “Há pouca oferta de teatro no subúrbio. Lonas culturais têm um papel importante para essa população”, afirma.

Eventos esportivos pesam no bolso

A maior variação encontrada nas despesas relacionadas ao lazer, segundo o IPC-RJ/FGV, foi no setor de futebol e eventos esportivos, em função do aumento no preço dos ingressos para o estádio do Maracanã. Em seguida, está o segmento de bebidas alcoólicas e não alcoólicas, com 12,51%. Ir ao cinema e comer fora de casa ficaram 9,73% e 8,36 mais caros, respectivamente.

Para o consultor Marco Quintarelli, do Grupo Azo, o segredo está em usar a criatividade. “Na segunda e terça-feira à tarde cinemas são mais baratos. Vale a pena optar por essas sessões. Além disso, o Rio oferece uma série de atividades ao ar livre, como praia, a Quinta da Boa Vista e o Parque Madureira”, diz.

A bióloga Camila Guindalini%2C 34%2C optou por levar a filha Manuela%2C de 3 anos%2C ao cinema. “Geralmente%2C prefiro passeios ao ar livre”%2C contouAlexandre Vieira / Agência O Dia

A bióloga Camila Guindalini, de 34 anos, levou a filha Manuela, de 3, ao cinema na sexta-feira e gastou R$ 43 só com os ingressos. “Quando a gente inclui pipoca e refrigerante fica ainda mais pesado. Hoje em dia, uma família não consegue assistir um filme no cinema por menos de R$ 100”, conta. Por isso, ela dá preferência a atividades ao ar livre, como praia, praça e clube.

A empresária Vanessa Cruz de Azevedo, de 30 anos, decidiu levar o filho Pedro, 4, para tomar sorvete no shopping com os avós, Ciciliano, 61, e Sônia Ferreira, 57. “Está muito quente e é difícil ficar em casa, por isso temos que procurar atividades que agradem às crianças, mas ao mesmo tempo que não sejam tão caras. O começo de ano tem muitos gastos”, diz.

Outra opção para as crianças, segundo Quintarelli, são as programações culturais gratuitas, como as oferecidas pelo Centro Cultural do Banco do Brasil. “Temos que associar o útil ao agradável. Como o cinema está caro, uma boa ideia é procurar lonas culturais. Para quem não pode gastar muito, o grande negócio são as atividades gratuitas”, aconselha.

A alternativa da empresária Vanessa%2C 30%2C foi levar o filho Pedro%2C 4%2C para tomar sorvete e afastar o calorAlexandre Vieira / Agência O Dia

Gratuitos

Sessão Criança CCBB de filmes infantis, às 14h: Neste domingo — Festival Charles Chaplin, participação especial da palhaça Ana Consani; dias 18 e 19 — Ponyo: Uma Amizade que Veio do Mar (animação); dias 25 e 26 — Piratas Pirados! (animação).

Smurfs no Norte Shopping — até o dia 10 de fevereiro, espaço temático com cenografia baseada na Vila dos Smurfs para crianças de 3 a 12 anos.

Shopping Via Brasil oferece, em parceria com o Giraffas, oficinas e animação para a garotada. Sábado, dia 18. O West Shopping, em Campo Grande, recebe até dia 2 de fevereiro o Eco Alegria da Turma da Mônica. De quinta a domingo. Nos dias 25 e 26 haverá encontro com os personagens Mônica e Cebolinha.

Teatro

Teatro Miguel Falabella (Norte Shopping, em Del Castilho): R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).

Teatro dos Grandes Atores (Barra): Ingressos custam de R$ 40 a R$ 50, dependendo do espetáculo infantil.

Teatro Vannucci (Shopping da Gávea): sai por R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia).

Teatro Municipal Raul Cortez (Duque de Caxias): R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Cinema

É possível encontrar promoções que variam de R$ 13 a R$ 22 às quartas-feiras em shoppings das zonas Norte e Oeste da cidade. Os valores dos ingressos vão de R$ 16 a R$ 25, conforme o horário e o dia da semana, o bairro e o shopping escolhido pela família.

Outros

Boliche (Norte Shopping): pista a R$ 75 (segunda, terça, quarta e quinta); R$ 95 (sexta a domingo).

Patinação no gelo (Norte Shopping): R$ 35 por hora.

Point Kart Indoor (Rua José Higino 115, Tijuca): R$ 49.

Colônia de férias

Marapendi (Barra): de R$ 221 (uma semana, um turno) a R$ 1.189 (quatro semanas, integral).

Kinderland: R$ 2.376 por 13 dias (crianças ficam em sítio próximo a Vassouras, em Sacra Família do Tinguá).

Gecrear (Jardim Botânico): de R$ 51 (diária, manhã) a R$1.249 (até 31 de janeiro, integral); Gecrear (Tijuca): de R$57 (diária, manhã) a R$ 1.313 (quatro semanas, integral).

Você pode gostar