Por thiago.antunes
Rio - O primeiro leilão online aprovado pelo Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), a pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), para vender imóveis da fraudadora do INSS Jorgina de Freitas terminou ontem sem despertar interesse de compradores. O pregão ocorreu no Rio e foi comandado pelo leiloeiro Leandro Dias Brame.
Foram aceitos lances via internet e presenciais, mas os dois apartamentos da quadrilha de fraudadores, localizados em Curitiba (PR), apresentavam avaliação acima do valor de mercado, segundo o leiloeiro Leandro Brame. “A avaliação ficou um pouco acima do mercado de Curitiba”, disse. Os imóveis volta para oferta pública no próximo dia 31 e podem ser apregoados pela melhor oferta, a partir de 50% da avaliação inicial feita.
Publicidade
Os apartamentos colocados em leilão são os de número 231 e 232, situados no Edifício Excelsior, à Rua Francisco Rocha 1.777, no bairro Bigorrilho, na capital paranaense. O primeiro tem área total construída de 231 metros quadrados, com duas vagas de garagem no térreo. A unidade foi avaliada em R$ 679 mil. Já o segundo imóvel, com 253,9 metros quadrados, tem direito de uso de três vagas de garagem no subsolo do prédio. O valor para o leilão foi fixado em R$ 746 mil.
Leandro Brame informou que quem estiver interessado em participar do segundo leilão deve se cadastrar no site (www.brameleiloes.com.br), solicitar a habilitação e enviar a documentação necessária, como Cadastro de Pessoa Física (CPF), identidade, comprovante de residência, “para evitar fraudes”, explicou o leiloeiro.
Publicidade