Por nara.boechat

Rio - Estudar para concursos requer tempo e foco. Além disso, cada candidato deve perceber o seu próprio ritmo e fazer programação adaptada para render melhor.

O fundamental no processo é criar um hábito de estudo e se acostumar a cumprí-lo diariamente. Em relação à administração do tempo, cada pessoa deve identificar a quantidade de horas que consegue permanecer concentrada nos livros. Outra dica é não deixar de fazer as atividades que dão prazer. Abrir mão do lazer, por exemplo, pode ser péssimo para a mente do candidato.

É possível administrar a vida, horários, conseguir fazer obrigações naturais, como trabalho e, ao mesmo tempo, ter um rendimento de mais qualidade do que se estivesse apenas focado nos estudos para passar em concursos.

PERGUNTA E RESPOSTA

por Cláudia Jones

“Comecei a estudar agora e não tenho muita noção de qual o tempo que eu devo separar por dia para os estudos e como posso administrar isso?”
Maura, Realengo

Maura, esse tempo de estudo é muito pessoal. De acordo com a disponibilidade, cada candidato fará sua programação. Porém, é importante que o tempo destinado ao estudo seja possível de ser cumprido, pois você deve ser honesta consigo mesma e com sua capacidade de concentração.

O fundamental é que você crie o hábito de estudo e se acostume a estudar diariamente. No início é doloroso e cansativo, sendo assim não é aconselhável começar os estudos com muitas horas por dia, pois provavelmente você não cumprirá a programação</CW>.
Imagine que seja igualzinho a quando você decide entrar para uma academia de ginástica. No começo fica toda dolorida, mas com o tempo se acostuma e você quer cada vez mais. Com o estudo é a mesma coisa. O ideal é criar metas que são possíveis de serem cumpridas. Desta forma, você terá revigorado a sua auto-estima a cada meta alcançada.

Quando o tempo de estudo programado ficar menos doloroso e mais fácil de ser cumprido, você deve criar nova meta, de preferência não muito distante para ser cumprida. Quanto à administração do tempo é importante e individual. Há pessoas, por exemplo, que falam em seis, oito horas diárias, mas há as que não suportam essa carga.

É importante trabalhar a quantidade de horas que seja agradável para você. Uma pessoa que, por exemplo, é procedente de um colégio militar possui condicionamento para estudar dez horas por dia, o que é diferente de uma que é dona de casa e decidiu estudar depois de 20 anos sem frequentar aulas.

É preciso também aprender a montar uma grade de horários para evitar o que acontece com a pessoa que para de fazer tudo, como ginástica ou andar na praia, para estudar. Isso é péssimo.

É possível administrar a vida, os horários, conseguir fazer obrigações naturais, como trabalho e lazer, que é um fator importante, e, ao mesmo tempo, ter maior rendimento nos estudos.

Cláudia Jones é jornalista e especialista do site Questões de Concursos

Você pode gostar