Copa aquece setor de segurança

São 60 mil vagas em todo o país. Só no Estado do Rio há dez mil novos postos de trabalho

Por O Dia

Rio - Com a proximidade da Copa do Mundo, o segmento de segurança privada abrirá 10 mil postos de trabalho no Estado do Rio. Em todo o país, esse número chega a 60 mil chances. “Estimamos que 40% dessas vagas sejam efetivadas depois da competição”, afirma Frederico Carlos Câmara, presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Rio de Janeiro (Sindesp-RJ).

Segundo ele, desde outubro a demanda por profissionais vem aumentando cerca de 5% ao mês. “O ápice da procura será quarenta dias antes da Copa”, explica.

As escolas que formam vigilantes também sentem o aquecimento do setor. Na empresa Alcancy, turmas do curso básico de vigilante são abertas semanalmente. “Formamos pelo menos cem alunos por mês, fora aqueles trabalhadores que estão fazendo aulas de reciclagem”, afirma Daniel Toledo, coordenador do curso de formação de vigilantes.

Morador de Nova Iguaçu, Jeinisson Henrique Duarte, de 22 anos, é um dos que busca capacitação para entrar na área. “A demanda por profissionais da minha área está grande. O meu objetivo não é trabalhar em grandes eventos, quero ser vigia de empresas de grande porte”, afirma.

O salário médio de um segurança privado, em uma escala de 12 horas de trabalho e 36h de folga, é de R$ 1.400.

Para entrar na profissão, é necessário fazer um curso de 200 horas. Quem deseja atuar em estádios e eventos com mais de três mil pessoas, também precisa fazer uma extensão em grandes eventos, com 50 horas.

A estudante Jacqueline Valentim da Silva, 21 anos, iniciou a formação na esperança de um aumento na procura por profissionais do sexo feminino: “Os eventos e as empresas precisam de mulheres que possam abordar outras mulheres, já que homens não podem fazer esse papel”.

Para fazer o curso é necessário ter mais de 21 anos, concluído o quinto ano (antiga quarta série) do Ensino Fundamental, não ter antecedentes criminais e estar com as obrigações militares e eleitorais em dia. E, a cada dois anos, passar por aulas de reciclagem.

CAPACITAÇÃO

A atividade de segurança privada é regulamentada pelo Ministério da Justiça, pela portaria 3.233, de 2012.

Os cursos de formação e extensão são válidos por dois anos. Após este período, o segurança deve passar por aulas de reciclagem.

Entre as matérias abordadas, estão defesa pessoal, armamento e tiro, além de direitos humanos.
Após a conclusão do curso, é necessário registrar o certificado na Polícia Federal.

Escola Alcancy — Curso básico: 200 horas, R$ 800; Extensão em grandes eventos: R$ 300. Endereço: Rua Aguaraiba 180, Bonsucesso. Telefone: 3977-3783.

Novo Centro Técnico de Formação em Segurança (NCTEC) — Curso básico: 200 horas, R$ 810. Extensão em grandes eventos: 50 horas, R$ 260. Endereço: Rua doutor Alfredo Barcelos 720, Olaria. Telefone: 2209-9650.

Também há 400 vagas abertas no programa de hospitalidade da Fifa. Os selecionados trabalharão como recepcionistas das áreas vips do Maracanã. É necessário ter mais de 18 anos, Ensino Médio completo e domínio do inglês. Inscrições pelo site www.querovestiracamisa.com/hospitalidade. Mais informações no e-mail hospitalidade@csm.com.

Reportagem de Luisa Brasil

Últimas de _legado_Economia