Por tamara.coimbra

Brasília - A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,69% em fevereiro deste ano. A taxa é superior às observadas em janeiro deste ano (0,55%) e em fevereiro de 2013 (0,6%). O dado foi divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice acumula taxas de 1,24% em um ano e de 5,68% em 12 meses.

A alta de fevereiro foi puxada principalmente pelos gastos com educação, que tiveram inflação de 5,97% no mês. O motivo é que, em fevereiro, tradicionalmente são incorporados os reajustes nos preços das mensalidades de cursos e escolas.

O custo da educação infantil subiu 11,36%, enquanto o do ensino fundamental aumentou 10,01%. A inflação das mensalidades do ensino médio subiram 10,01%. Apesar das altas, o reajuste médio dos cursos regulares neste ano (4,86%) foi menor do que o observado em fevereiro do ano passado (7,57%).

Os alimentos registraram uma inflação de 0,56% em fevereiro. Apesar de ser menor do que a observada em janeiro (0,84%), a taxa do grupo alimentação teve o segundo maior impacto no IPCA de fevereiro.

Inflação para famílias com renda mais baixa fica em 0,64%

A inflação para famílias com renda até cinco salários mínimos, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), fechou fevereiro em 0,64%. A taxa é inferior à observada pelo IPCA, que mede a inflação para todas as faixas de renda e que foi 0,69% em fevereiro. No entanto, o índice é ligeiramente superior ao observado pelo INPC em janeiro (0,63%).

Segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os produtos alimentícios tiveram aumento de preços de 0,39% em fevereiro. A taxa é inferior à registrada em janeiro (0,86%).

Já a inflação dos não alimentícios subiu de 0,53% em janeiro para 0,75% em fevereiro. O maior INPC de fevereiro foi observado na cidade do Rio de Janeiro (1,31%).

Você pode gostar