Por thiago.antunes

Rio - Mesmo em ano de Copa do Mundo e eleições, o Rio de Janeiro já tem confirmados 95 feiras e congressos científicos daqui até o fim de 2014, gerando uma receita estimada superior a US$ 443 milhões, ou seja, mais de R$ 1 bilhão. A cifra já ultrapassa o que foi arrecadado durante todo o ano passado, quando ocorreram 161 convenções, que geraram US$ 248,2 milhões (R$ 583,27 milhões) para a cidade.

Os dados são do Rio Convention & Visitors Bureau,que já registrou em seu calendário as principais feiras e congressos que aconteceram em diversos bairros do Rio. Presidente-executivo do Rio Convention, Alfredo Lopes assegura que a expectativa de que 2014 ultrapasse o ano anterior em público, receita e quantidade de eventos já é uma realidade. “A exposição do Rio no cenário global, além da infraestrutura que está sendo aprimorada para receber o Mundial e os Jogos Olímpicos, é a grande motivadora dos bons números”, observa.

A feira internacional Rio Oil %26 Gás ocorre no Riocentro%2C no segundo semestre. Para este ano%2C a expectativa é de um público de 55 mil pessoasDivulgação

De acordo com levantamento da regional Rio da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ), em 2013 o turismo de negócios foi responsável por cerca de 50% da ocupação hoteleira na cidade. Fora os meses das férias de verão — dezembro, janeiro e fevereiro. No resto do ano, os principais motivos de turistas no Rio são trabalho/negócios e convenções/feiras.

Diretor-geral do Convention Center Network (CCN), grupo que administra o Centro de Convenções SulAmérica, na Cidade Nova, Fernando Horta afirma que o Rio amadureceu muito nos últimos anos como cidade receptiva para eventos. “Para que uma cidade seja sede de um evento ou congresso, as negociações começam 24 meses antes. Com os eventos esportivos internacionais e as ações que vêm sendo desenvolvidas na cidade, o Rio amadureceu e hoje é uma referência para a promoção de congressos”, diz.

A CCN recentemente assumiu a gestão do Centro de Convenções do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), que fica no bairro de Botafogo. Com isso, a expectativa é aumentar em 30% o faturamento do grupo neste ano em relação a 2013.

No Riocentro está o Comitê Organizador Local da Copa do MundoDivulgação

Local onde está instalado um dos principais centros de convenções do país, o Riocentro, a Zona Oeste lidera as regiões em número de congressos, palestras e feiras. Segundo o Rio Convention, ali serão 37, com expectativa de público de mais de 220 mil participantes e receita estipulada em US$ 295 milhões (cerca de R$ 678 milhões). Já o Centro abrigará,em novembro, o Congresso Mundial da Sociedade Internacional de Cirurgia Ortopédica e Traumatologia, com cinco mil participantes.

Riocentro recebe investimentos

Dos 95 eventos já confirmados, pelo menos 20 ocorrerão no Riocentro, na Zona Oeste. Ali, já em abril, acontece a Laad Security, maior feira de equipamentos de segurança pública e privada da América Latina, e no segundo semestre, a Rio Oil & Gás, para um público estimado em 55 mil pessoas. Sob a gestão da GL events Brasil desde 2006, o centro de convenções passa por uma ampla reforma e receberá investimentos de R$ 200 milhões até o final de 2014.

O plano de investimentos inclui a construção do Hotel Grand Mercure Riocentro; a reforma do Pavilhão 1; a construção do restaurante Emporium Pax Delícia; e toda a infraestrutura para receber o Centro Internacional de Transmissão (IBC) e o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de Futebol. Este último, já instalado no local desde o primeiro semestre de 2013. De 2006 a 2011, a GL events investiu R$100 milhões na modernização do Riocentro.

“Com o Riocentro, na Zona Oeste, e o Píer Mauá, na Região Portuária, falta apenas um centro de convenções de grande porte na Zona Sul, equilibrando o turismo de negócios na região, que é responsável por 68% da hotelaria carioca”, explica Alfredo Lopes, do Rio Convention.

Você pode gostar