Por thiago.antunes

Rio - Estudar em grupo pode ser uma boa chance de adquirir mais conhecimento. Quando o candidato se une a alguém com as mesmas vontades, a relação com o estudo fica mais fácil. A troca de informações, no estudo em grupo, é muito produtiva.

Mesmo assim, é preciso ter alguns cuidados. O primeiro deles é escolher um grupo com quem o candidato se identifique. Pessoas sem sintonia podem desvirtuar o foco e gerar intrigas. Além disso, a boa escolha das apostilas e livros é essencial. O candidato precisa confiar na veracidade dos conteúdos estudados. Se tiver dúvidas em relação aos comentários, o ideal é procurar nas bibliografias a confirmação dos mesmos, o que torna a relação de estudo ainda mais saudável e segura. Abaixo, saiba mais.

Pergunta e resposta

“Comecei a me dedicar a concursos há um ano e descobri que funciono mais se tiver alguém estudando comigo; caso contrário, desanimo. Convidei uma amiga para estudar junto para a mesma prova a que vamos concorrer. Tomei a decisão certa?” Manoela, Jardim Guanabara

Manoela, o bom de estudar em grupo é que pessoas diferentes têm afinidades com disciplinas distintas e, com isso, existe uma troca de informações. Esse compartilhamento é indicado e positivo. Muitas vezes, o livro ou a apostila não conseguem se comunicar com o estudante, por ter, muitas vezes, uma linguagem distante da realidade, termos técnicos e falta de clareza.

Claro que essa questão tem mudado, já que o mercado está se atualizando cada vez mais com o intuito de se aproximar do aluno por meio de materiais que interajam com ele. Caso você opte por estudar com mais pessoas, o ideal é que seja com amigos ou conhecidos da mesma idade, ou que compartilhem a mesma realidade social. Dessa forma, a comunicação acontece de forma natural e mais facilmente, assim como a amiga que você escolheu. A troca, no estudo em grupo, é muito produtiva.

No entanto, é importante ter cuidado com os componentes do grupo. As pessoas com quem você vai dividir seus estudos precisam ser escolhidas a dedo, estar com o mesmo foco. Elas devem ter desejo de passar na prova e disposição para estudar, assim como você.

Essas têm que ser atitudes de todos, pois uma pessoa desfocada em um grupo pode contaminar ou irritar os outros componentes, além de acabar com a produtividade. O candidato necessita confiar nos colegas de estudo e na veracidade de seus comentários. Se acontecerem casos de dúvidas, busque nas bibliografias a confirmação da informação ou afirmação dos companheiros .

Isso torna a relação de estudo saudável e mais segura. Um outro detalhe importante: quanto mais do nosso conhecimento é compartilhado, mais conhecimento recebemos. Ao ensinar, também aprendemos. É uma troca constante. Bons estudos!

Cláudia Jones é jornalista especializada em concursos públicos

Você pode gostar