Sucesso nas Compras: Cuidados ao trocar um presente

O importante ao fazer uma compra, principalmente de produtos duráveis, é procurar conhecer detalhadamente as condições que a empresa oferece para trocar o produto

Por O Dia

Rio - Trocar presente que não agradou pode se tornar uma dor de cabeça para o consumidor. Mas para evitar que isso ocorra, é preciso que o cliente não tenha retirado a etiqueta da loja e o produto esteja sem sinais de uso. Apesar de o Código de Defesa do Consumidor (CDC) não prever, substituir é uma tradição do comércio, mediante a boa vontade dos lojistas que não têm interesse de perder o cliente para o concorrência. Pelo CDC, a troca só é permitida em caso de defeito na mercadoria.

O importante ao fazer uma compra, principalmente de produtos duráveis, é procurar conhecer detalhadamente as condições que a empresa oferece para trocar o produto e, se possível ter esses termos por escrito. Isto fará toda a diferença num eventual problema.

Pergunta e resposta

“Ganhei presente de aniversário semana passada que não serviu. Gostaria de trocá-lo, mas meu filho comprou em uma loja de São Paulo que tem filiais no Rio. É possível trocar?” 

Quitéria, Realengo

É sempre difícil descobrir o que o presenteado gostaria de ganhar. Ainda mais os filhos que se empolgam em agradar suas mães e às vezes não compram presentes de maneira correta. Hoje, as trocas de presentes repetidos ou dos que não serviram podem ser feitas na maioria dos estabelecimentos.

O Código de Defesa do Consumidor (CDC) não prevê, especificamente, a possibilidade de troca pelo simples fato de o cliente não ter ficado satisfeito com ele. Ou seja: se você ganhou peça de roupa que não agradou, calçado que não serviu pelo tamanho, a princípio, o fornecedor não é obrigado a trocar.

Pelo CDC, ela só é permitida em caso de defeito na mercadoria. Se o presente não agradou ou não era bem da cor esperada, o jeito é contar com a boa vontade do lojista.Mas a troca apesar de não ser obrigação do comerciante quando não há defeito, é praxe de mercado, desde que, não tenha sido retirada a etiqueta da loja e o produto esteja sem sinais de uso.

Esta prática tornou-se maior no comercio pela própria competitividade entre as lojas e a maioria dos comerciantes passou a dar mais importância à satisfação do consumidor, por isso a possibilidade da troca tornou-se comum. Atenção aos produtos em promoção.

Geralmente não há a possibilidade de trocar, até pela falta de outro para substituir, o que àsvezes implica em pagamento adicional para levar outro similar. É uma liberalidade da loja fazer a troca mediante cartão do estabelecimento ou da mercadoria com a etiqueta, se não há defeito. Também pode ser exigida a nota fiscal de compra. 

No seu caso, se o presente foi comprado em São Paulo em uma rede de lojas de atendimento nacional, que tenha filiais em diversas cidades inclusive próximo onde você mora, você pode pleitear que a filial próxima a você faça a substituição. Mas isto não é garantido.

Quintarelli é consultor do Grupo AZO

Últimas de _legado_Economia