Publicidade masculina só tem olhos para as mulheres

Na maior parte dos casos, elas ainda são responsáveis por comprar a roupa dos parceiros

Por O Dia

Rio - Apesar de os homens estarem cada vez mais vaidosos e antenados ao mundo da moda, as mulheres ainda são o principal alvo de campanhas publicitárias para produtos masculinos. Segundo pesquisa do Data Popular, 71% deles concordam que as companheiras são as responsáveis por escolher as suas roupas. Além disso, 86% admitiram que são elas que decidem as compras de supermercado. Com isso, o grande desafio dos publicitários ainda é seduzir as mulheres para chegar até o cliente final.

Noiva%2C Denise escolhe a roupa de Geraldo desde o início do namoro%2C dando preferência ao estilo e às cores favoritas dele%2C mas sem abrir mão de inovar nos sapatosDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“O marketing trabalha com o conceito de que existem papéis diferentes na publicidade. Muitas vezes, o usuário do produto e o comprador são pessoas diferentes. Hoje, quem compra a roupa masculina não é o usuário, ou seja, o homem. É a mulher. Assim, é preciso que as propagandas gerem um desejo no homem, mas também atendam a uma linguagem feminina”, explica Rafael Liporace, professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Segundo ele, a tendência é que com o tempo os homens comecem a comprar mais. No entanto, as mulheres vão continuar como as principais consumidoras, mesmo se tratando de produtos masculinos. “Elas adoram dar presentes, independentemente da época do ano”, avalia o publicitário.

Diretor da consultoria Consumoteca, Bruno Maletta concorda. “Da mesma forma que mulher tem impulso de comprar roupas para ela, tem para dar presente para o marido ou namorado. Com os homens, dificilmente a compra por impulso está relacionada ao vestuário”, afirma.

Apesar de o consumismo feminino ser constantemente criticado pelos homens, é importante para movimentar o mercado da moda masculina. Avessos a novidades, a maioria deles só têm acesso às inovações quando essas são apresentadas pelas parceiras.

“Muitas vezes, na hora de escolher uma roupa para o companheiro, a mulher busca algo novo, como uma calça colorida ou com cortes mais modernos, por exemplo. Quando o homem gosta e aceita é bom, pois foge do óbvio. A mulher tem esse papel de ser uma conselheira, por ter mais informação disponível. Ainda há poucas revistas e sites masculinos sobre moda”, explica Maletta.

Elas dão a palavra final nas compras

Namorados há um ano, a funcionária pública Denise Degow, 65 anos, e o aposentado Geraldo Cartegiano, 83, pretendem se casar em breve. Desde o começo do relacionamento ela escolhe as roupas dele. “Sei que ele gosta de tons pastéis, por isso procuro comprar camisetas nessas cores. Mas sempre inovo nos sapatos”, conta Denise. “Este aqui tem até sola azul”, completou Geraldo, rindo.

Na casa da contadora Fernanda Paiva e do servidor Tiago Alegria, ambos de 31 anos, a mulher também tem a palavra final. “Ele não escolhe nada. Mas às vezes atrapalha. Eu pego uma roupa bonitinha e ele escolhe uma cor feia”, brinca Fernanda.

O casal Lila Brasil e Paulo Jansen, de 49 anos, por sua vez, é mais democrático. “Geralmente, ele escolhe as próprias roupas, eu só compro quando dou presente”, diz ela.

Já a empresária Irielly Nardaci, 30, admite que dá palpites no estilo do marido, Dalton Salles, 40. “A gente costuma fazer compras junto e eu normalmente sugiro roupas. Ele escuta, mas também é antenado”, afirma.

Últimas de _legado_Economia