Por helio.almeida

Rio - Depois de sete novos reajustes autorizados pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), o custo médio da energia elétrica para a indústria brasileira passou de R$ 301,66 por MWh para R$ 310,19 por MWh. Com o aumento de 2,8%, o país mantém a 10ª posição em ranking internacional que contempla 28 países. O topo do ranking é ocupado pela Índia, com custo de R$ 630,92 por MWh.

Os dados foram divulgados hoje pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, através do site “Quanto custa a energia elétrica para a indústria do Brasil?” (www.firjan.org.br/quantocusta).

No ranking estadual de custo médio industrial, o estado do Pernambuco passou da 12ª para a 3ª posição, com o aumento de 20,7% após o reajuste da Celpe. Na Bahia, o aumento foi de 16,9% após o reajuste da Coelba, passado o estado da 24ª para a 15ª posição.

No Ceará, após o reajuste da Coelce, a energia aumentou 16,3% e o estado passou da 16ª para a 11ª posição no ranking estadual. Já o estado do Rio Grande do Norte passou da 19ª para a 14ª colocação após o aumento de 17% no custo da energia, por conta do reajuste da Cosern.

No Rio Grande do Sul o aumento foi de 11,3% após os reajustes da AES Sul e da Uhenpal. A posição do estado no ranking mudou da 21ª para a 17ª. Em Sergipe, a mudança foi da 22ª para a 20ª posição após o aumento de 9,6% por conta do reajuste da ESE.

Você pode gostar