Por helio.almeida

Rio - O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o comércio . É nesse momento de maior fluxo de pessoas nos centros comerciais que tanto o consumidor quanto o comerciante precisam estar atentos para não se tornarem vítimas de golpes, alertam os especialistas da Serasa Experian. Pesquisas da empresa apontam que aumentam as incidências de tentativas de fraude em datas comemorativas e que os cidadãos que tiveram documentos perdidos ou roubados estão mais suscetíveis. Basta perder a carteira de identidade ou o CPF para dobrar a probabilidade de ser vítima do crime conhecido como fraude de identidade, por meio do qual os golpistas utilizam os dados dos documentos extraviados para obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos ou fazer negócios apresentando-se com identidade falsa.

Segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes contra o Consumidor, só em março foram registradas 155 mil tentativas conhecida como roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica ou mesmo obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos. Qualquer pessoa que tiver um documento roubado ou perdido, além de fazer um Boletim de Ocorrência (B.O.), deve cadastrar um alerta no Serviço de Documentos e Cheques Roubados da Serasa Experian, com o objetivo de reduzir o risco e evitar a dor de cabeça de ter seus dados pessoais utilizados por golpistas.

De maneira prática e segura, o consumidor pode fazer gratuitamente o registro do extravio de folhas de cheques e documentos (como Registro Geral, o RG; carteira de trabalho; CPF; carteira de habilitação e título de eleitor) pela Internet, http://www.serasaconsumidor.com.br/servicos/documentos-e-cheques-roubados/, ou pelo telefone da Central de Atendimento ao Consumidor, (11) 3373 7272, que funciona nos 7 dias da semana, das 8h às 20h. Se alguém já teve no passado algum documento extraviado e ainda não registrou as informações, também pode realizar o cadastro.

A partir da inclusão dos dados, as informações ficam disponíveis de imediato para todos os clientes da Serasa Experian no país. No caso dos documentos, o alerta fica no sistema de consultas, provisoriamente, por um período de dez dias úteis. Para que permaneça por tempo indeterminado, o consumidor precisa enviar dentro desse prazo o Boletim de Ocorrência e uma declaração formal à Serasa Experian. Já no caso dos cheques, as informações ficam na base de dados por três dias úteis, tempo para que o correntista avise o banco, faça o Boletim de Ocorrência e suste os cheques. Após a sustação, o alerta do cheque permanecerá por tempo indeterminado na base de dados da Serasa Experian.

A ação de fraudadores pode causar muitos transtornos. Confira abaixo dicas de prevenção preparadas pelos especialistas da Serasa Experian para o consumidor:

Cuidados com os documentos:

1ª -Nunca deixe o documento com um desconhecido quando você não estiver por perto;
2ª -Nunca forneça seus dados pessoais para pessoas estranhas;
3ª -Não forneça ou confirme suas informações pessoais por telefone;
4ª -Não perca de vista seus documentos de identificação quando solicitados para protocolos de ingresso em determinados ambientes ou para quaisquer negócios;
5ª -Não informe os números dos seus documentos quando participar de sorteios;
6ª -Mantenha atualizado o antivírus do seu computador diminuindo os riscos de ter seus dados pessoais roubados por arquivos espiões;
7ª -Não faça cadastros em sites que não sejam de confiança; fique atento às dicas de segurança da página, por exemplo, como a presença do cadeado de segurança.

Cuidados com os cheques:

1ª -Procure deixar os cheques separados dos documentos pessoais;
2ª -Não ande com o talão de cheques ou folhas já assinadas; procure portar apenas as folhas que for utilizar no dia;
3ª -Não deixe as folhas de cheques em cima do balcão da loja ou à vista de outras pessoas;
4ª -Quando for preencher o cheque utilize sempre uma caneta própria;
5ª -Evite deixar espaços em branco;
6ª -Procure sempre emitir cheques nominais e cruzados;
7ª -Anote as informações da compra no canhoto do talão.

Comerciante também precisa se proteger

Na hora de realizar uma venda a prazo, o comerciante deve principalmente verificar a consistência dos dados informados e comparar a foto do documento de identificação com a pessoa que se apresenta no estabelecimento. Independentemente do porte, é importante que todas as empresas redobrem a atenção, pois aquelas que não investem em recursos básicos e acessíveis de proteção, podem virar alvos preferenciais, destacam os especialistas em soluções antifraudes da Serasa Experian.
O empresário também pode contar com o auxílio de ferramentas disponíveis no mercado que ajudam a prevenir fraudes, como é o caso do serviço de Alerta de Identidade da Serasa Experian. No momento da venda, o empresário pode fazer uma consulta ao CPF do consumidor e analisar o histórico daquele documento. A partir disso, o serviço avalia o grau de risco para o comerciante indicando se há ou não a necessidade de verificar documentos adicionais de identificação.

Confira abaixo dicas de prevenção para as empresas que realizam vendas a prazo:

1ª -Peça sempre dois documentos originais (como RG, CPF, Carteira de Habilitação);
2ª -Verifique inconsistências nos documentos apresentados. Por exemplo, se a foto é recente, porém a data de emissão do RG é de quando a pessoa tinha 10 anos de idade ou vice-versa;
3ª -Procure confirmar se as informações fornecidas pelo cliente são verdadeiras, analisando atenciosamente se o nome apresentado nos documentos é o mesmo que consta no comprovante de residência;
4ª -Solicite ao cliente o número do telefone residencial e faça a checagem dos dados naquele instante;
5ª -Consulte alguma ferramenta de prevenção a fraudes disponível no mercado;
6ª -Se a suspeita de fraude for grande e o comerciante não se sentir seguro com a venda, é recomendável pedir que uma parte ou todo o pagamento seja feito à vista.

Você pode gostar