Por leonardo.rocha

Rio - O lucro operacional no primeiro trimestre de 2014 foi de R$ 7,6 bilhões, 8% superior ao do último trimestre de 2013, principalmente devido aos maiores preços de derivados e da menor participação de derivados importados nas vendas. O lucro líquido foi de R$ 5,4 bilhões, sendo 14% inferior ao trimestre anterior, especialmente devido à ausência do benefício fiscal relativo ao provisionamento de juros sobre capital próprio, ocorrido no 4º trimestre de 2013.

Sede da Petrobras no Rio de JaneiroReprodução Internet


Na comparação com o mesmo período de 2013, o lucro líquido foi 30% inferior, refletindo a redução no lucro operacional, devido ao provisionamento de R$ 2,4 bilhões com o PIDV (Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário) e o menor resultado financeiro. Com a implementação do PIDV, totalizando 8.298 empregados inscritos (12,4% do efetivo total), há previsão de redução de custos de R$ 13 bilhões no horizonte 2014-2018.

A produção total de petróleo e gás natural atingiu 2 milhões 531 mil barris/dia na média do trimestre, ficando estável em relação ao 4º trimestre de 2013. Em março de 2014, batemos novo recorde de produção mensal no pré-sal, atingindo 395 mil barris de petróleo por dia, e em 18 de abril, registramos recorde diário de 444 mil bpd. Iniciamos a operação da P-58 e do terceiro poço no campo de Sapinhoá interligado ao FPSO Cidade de São Paulo.

Obtivemos maior carga processada, em relação ao 4º trimestre de 2013, com recorde de processamento em março e aumento da produção de derivados no país, reduzindo a participação dos derivados importados nas vendas. O PROEF (aumento da eficiência operacional da Bacia de Campos) contribuiu com uma produção adicional de petróleo de 58 mil bpd. A eficiência operacional chegou a 77% na UO-BC e a 95% na UO-RIO.

O PROCOP (otimização de custos operacionais) alcançou uma economia de R$ 2,4 bilhões no 1º trimestre de 2014. Captamos R$ 53,9 bilhões, principalmente pela emissão de bonds nos mercados americano e europeu, o que permitiu que terminássemos o trimestre com uma sólida liquidez (R$ 78,5 bilhões em caixa).

Você pode gostar