Campanha para salvar paraíso

ONG dá oportunidade para internauta ver de perto as fascinantes baleias jubarte

Por O Dia

Rio - Tem vontade de conhecer o arquipélado de Abrolhos e ver de perto as fascinantes baleias jubarte? As ONGs Conservação Internacional-Brasil e Fundação SOS Mata Atlântica, lançaram um álbum de figurinhas digital, gratuito, sobre o santuário ecológico entre o sul da Bahia e o norte do Espírito Santo. Quem completá-lo, pode concorrer a viagem para a região, que abriga a maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul.

Internauta pode ver de perto as baleias jubarteDivulgação

Em www.fantom.ie/abrolhos, o internauta pode acessar o álbum através de uma conta de e-mail, Facebook ou Twitter. São 80 cromos com imagens do arquipélago, como a da jubarte acima. Passando o mouse sobre cada figurinha, é possível ler informações sobre a imagem.

O programa possibilita a aquisição de pacotes de figurinhas com moedas virtuais e também a troca de repetidas entre colecionadores. O Concurso Cultura Adote Abrolhos, que dará as viagens, termina no dia 31 de julho.

A ideia do álbum surgiu durante a criação da Campanha Adote Abrolhos (www.adoteabrolhos.org.br), iniciativa das duas ONGs. “Nossa intenção é que o álbum funcione como ferramenta lúdica e educativa, destacando a importância da região para a conservação da biodiversidade marinha no Brasil”, diz Guilherme Dutra, Diretor do Programa Marinho da Conservação Internacional-Brasil.

Para Marcia Hirota, diretora executiva da SOS Mata Atlântica, fazer o álbum possibilita “se articular com pessoas interessadas em proteger os ambientes marinhos” e trazer “mais aliados para a causa.”

Estudo indica risco para jaguatirica

A situação da jaguatirica (Leopardus pardalis) é tema de estudo dos pesquisadores Fernando dos Santos Fernandez e Patrícia Mendonça, da UFRJ, com financiamento da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Na análise, no Parque Estadual da Serra do Mar (SP), maior área contínua de Mata Atlântica no Brasil, constatou-se a presença de 160 dos felinos, típicos do bioma.

Estudo indica risco para jaguatiricaDivulgação

O número indica a necessidade de ações de conservação. Para Fernandez, a grande ameaça aos animais é a caça ilegal dentro da unidade de conservação. “O parque tem 315 mil hectares e sofre com a caça ilegal. Há redução da quantidade de jaguatiricas pela falta de alimento, pois as pessoas caçam e eliminam as presas naturais delas, como roedores, tatus, aves, gambás e macacos”, destaca.

Boas ações em dia

As inscrições para o programa de inclusão social de jovens, adultos e famílias que vivem em pobreza extrema na cidade do Rio começam amanhã e vão até 28 de julho . Os interessados devem procurar as Agências de Famílias do Banco da Providência nas paróquias de sua comunidade. Serão aceitas 30 famílias por agência.

O Prêmio A3P, do Ministério do Meio Ambiente e que contempla projetos de sustentabilidade homenageia na sua 5º edição, que acontece em junho, Marcus Saussey. O jurado faz parte da banca examinadora há três anos e coordena a instituição Energy Marcon dando palestras e consultoria na área.

Últimas de _legado_Economia