Por leonardo.rocha

Rio - A Associação Comercial dos Produtores e Usuários da Ceasa Grande Rio (Acegri) registra um aumento de 20% no volume de produtos comercializados na Ceasa-RJ em abril, comparado ao mesmo período de 2013.

A venda de produtos no mercado de Irajá vem crescendo nos últimos três anos, tanto que no ano passado atingiu a marca recorde de 1,8 milhão de toneladas de produtos.

Atualmente, cerca de 5 mil toneladas de alimentos são comercializados diariamente na Ceasa-RJ, porém, o presidente da Acegri, Waldir Lemos, há 60 anos nesse ramo, diz que esse volume está aquém do desejável. "A meta é alcançar 8 mil toneladas por dia." Do total comercializado, 80% correspondem a alimentos hortigranjeiros.

"A capacidade de consumo das pessoas melhorou e percebo que houve uma mudança também na qualidade do que consomem. As pessoas estão mais preocupadas com a saúde e colocando em suas refeições mais frutas, verduras, legumes. Tem famílias que reservam semanalmente o dinheiro para comprar esses itens. Antigamente, esses alimentos só eram comprados, se sobrasse dinheiro.", afirma.

Frutas como abacate, caqui, laranja lima, tangerina, mamão formosa e tangerina estão na safra, portanto com preços melhores. Assim como agrião, alface, couve, chicória, espinafre, repolho, abóbora, berinjela, chuchu, pimentão, aipim, inhame e pepino. "Nem todo mundo sabe escolhe frutas, verduras e legumes, por isso, acabam desperdiçando e gastando mais. A dica é comprar na safra e pensando em quantos dias aquele produto vai ser consumido.", explica Lemos.

Você pode gostar