Por leonardo.rocha

Rio - O empresário Orlando Santos Diniz foi reconduzido à presidência do Sesc do Rio de Janeiro. A determinação foi do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Napoleão Nunes Maia Filho. Ele concedeu liminar pedida pelos advogados Cristiano Zanin Martins, do escritório Teixeira, Martins & Advogados, e Ana Teresa Basilio, do Basilio Advogados, que representam o presidente da Federação do Comércio do Rio de Janeiro. A Administração Nacional do Sesc afirma, em nota, que vai recorrer. "A decisão não é definitiva e o mérito ainda será julgado no STJ".

O Sesc Nacional explica ainda, na nota, que “foi surpreendida pela medida cautelar interposta pelo ex-presidente do Conselho Regional do Sesc Rio.

Sob intervenção desde 20 de março, o Sesc Rio teve o presidente Orlando Diniz e os Conselheiros da entidade afastados pelo Conselho Nacional por irregularidades na gestão.

Durante este período, alinhado às diretrizes nacionais da entidade, o Sesc Rio aprovou as metas que visam ampliar e qualificar os serviços do Departamento Regional. Entre elas, a reforma das instalações precárias e construção de novas unidades do Sesc em regiões importantes, como zona oeste da cidade do Rio, região sul e norte fluminense, litoral sul e região dos lagos.

Em bairros como Campo Grande, Jacarepaguá, Santa Cruz e, ainda, em cidades como Angra dos Reis, Itaperuna, Macaé, Barra do Piraí e Cabo Frio, atualmente não atendidas pela instituição. Além da retomada da educação infantil, interrompida pela administração afastada, e desenvolvimento de atividades como Educação de Jovens e Adultos. As ações têm o objetivo de aumentar a abrangência e efetividade social, além de garantir o acesso aos comerciários de bens, serviços e turismo, seu público preferencial.

Com foco na valorização do quadro funcional foi apresentado plano de cargos e salários, ampliação do quadro de lotação de pessoal e proposta de aumento dos benefícios. Tendo sido assinado nesta quinta-feira, acordo coletivo com o Sindicato da categoria, garantindo a reposição das perdas salariais acumuladas nos últimos anos. Conforme preceitos legais e regulamentares da instituição, todas as ações tomadas até o momento pela Administração Nacional visam tão somente preservar a boa gestão e a qualidade dos serviços prestados no Estado do Rio de Janeiro.

Você pode gostar