Copa faz preço de TVs ficar até 50% mais baixo

Mundial aquece setor e venda de aparelhos aumentará durante competição

Por O Dia

Rio - A Copa do Mundo rende frutos para os fabricantes de TVs e consumidores. Segundo as empresas, o evento esportivo antecipou o faturamento relativo às vendas de fim de ano. O consumo cresceu 20% desde janeiro e deve subir ainda mais até o fim do Mundial. De olho nos aparelhos de tela grande, torcedores que buscam uma TV nova para ver os jogos encontram descontos de até 50% e novidades no mercado.

Luciano Lima investiu em um aparelho de TV novo para assistir aos jogos da Seleção BrasileiraDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Gerente de televisores da Sony Brasil, Sérgio Buch afirma que a Copa foi definitivamente bom negócio para o setor. “A produção de TVs das empresas no polo industrial de Manaus cresceu 70% em 2014, quando comparada ao ano passado. A Sony não abre números, por questões estratégicas, mas podemos dizer que as vendas estão muito boas e esperamos vender mais com a proximidade da Copa e durante todo o evento”, afirma o executivo.

Já o gerente sênior de TVs da Philips, André Romanon, explica que espera um crescimento de até 12% em relação ao ano passado, com inversão da sazonalidade. “Teremos um Natal antecipado. A expectativa é que as vendas aumentem mais até o início da Copa e conforme o desempenho da Seleção Brasileira. Para nós, o ideal é que o país chegue à final, mantendo o consumo em alta e, de preferência, ganhe”, diz Romanon.

Para a Samsung, o momento é de manter o posicionamento. “Nosso objetivo é conseguir vender acima da expectativa do mercado, que é de 15% a 20% de aumento em relação a 2013”, avalia William Peter Lima, gerente sênior de produtos de TV da Samsung Brasil.

Para dar conta do aumento na demanda, a LG lançou os novos modelos ainda mais cedo este ano, em fevereiro. Geralmente, as novidades chegam ao consumidor apenas em maio. “É comum que o maior impacto nas vendas seja no segundo semestre. Mas este ano a situação se inverteu, em função da Copa e das eleições”, conta o gerente geral de TVs da LG, Rogério Molina.

Segundo ele, fatores que os consumidores mais levam em conta na hora de escolher a TV são o tamanho da tela e se o valor couber no orçamento.

Comércio aposta em promoções

Para atrair consumidores, o varejo aposta em promoções de até 50%. É o caso do site Submarino, que oferece descontos em diversos aparelhos. A Smart TV 3D LED de 46 polegadas da Sony, por exemplo, que custava R$ 7.999, agora sai por R$ 3.999. Já no Ponto Frio da Rua Uruguaiana, no Centro do Rio, a TV de 23 polegadas da Samsung passou de R$899 para R$699. Também há opções para quem está disposto a gastar mais, como o modelo Samsung S9 Timeless de 85 polegadas, com 3D, que custa R$ 99.999.

O operador de telemarketing Luciano Lima, 31 anos, já comprou uma nova TV para assistir aos jogos. “A situação merece o esforço. Quero ver o Brasil ser campeão com boa resolução”, disse ele.

William Peter Lima, gerente sênior de TV da Samsung Brasil, conta que os modelos mais procurados são aqueles acima de 46 polegadas. Por isso, houve crescimento nas vendas de televisões de plasma, que têm preços mais acessíveis.

No entanto, Rogério Molina, da LG, explica que a resolução desses aparelhos não é tão boa e o consumo de energia elétrica é mais alto. “As TVs de LCD e LED são mais econômicas e têm resolução melhor”, diz ele. Para quem pode investir mais, o ideal é dar preferência aos modelos Oled, que têm mais brilho e contraste, com imagem de mais qualidade”.

Últimas de _legado_Economia