IBGE: Pesquisa de dados mesmo com greve

Garantia é da presidenta do órgão, Wasmália Bivar, ao fazer a primeira avaliação sobre a paralisação dos servidores

Por O Dia

Rio - A divulgação dos principais dados coletados pelo IBGE não sofrerá descontinuidade, mesmo com a greve dos servidores do instituto. Está mantido, por exemplo, o resultado trimestral do Produto Interno Bruto (PIB) previsto para sair na próxima sexta-feira. A garantia é da presidenta do órgão, Wasmália Bivar, ao fazer a primeira avaliação sobre a paralisação dos servidores. A Pnad Contínua também terá o seu calendário de divulgação preservado.

No Rio de Janeiro, quatro das cinco unidades já aprovaram adesão ao movimento, sendo a maior parte de funcionários estatutários. Os temporários, responsáveis por 45% dos quadros e com importante representação na captação dos dados, ainda não têm um posicionamento definido sobre a greve.

A Associação de Servidores do IBGE (Assibge)informou que a paralisação já atingiu 12 estados, como São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, além do Distrito Federal. Hoje, servidores da Unidade Canabarro, no Maracanã, decidem se aderem ao movimento.

Segundo a entidade, o Estado do Rio concentra 40% dos servidores do instituto no país. A prioridade inicial é mobilizar a categoria, principalmente, dos funcionários temporários. Entre as reivindicações do grupo está a equiparação salarial com carreiras de Estado que chegam a R$ 14.275 iniciais.

Últimas de _legado_Economia