Por bferreira

Rio - O planejamento financeiro sempre foi um dos maiores problemas para muitos, no que se refere ao controle das finanças pessoais: ou seja, a forma de lidar com as receitas (ganhos), despesas (gastos) e os investimentos.

A maioria das pessoas trata do assunto se limitando a comparar o total de ganhos no mês com os gastos efetivados no mesmo período, sem que se deem conta de que isso é apenas uma parte do planejamento financeiro pessoal, que deve ser amplo.

É preciso lembrar que não basta guardar o dinheiro pelo simples fato de guarda-lo, mas sim saber qual será o destino da reserva.

No planejamento do orçamento doméstico é muito importante identificar o perfil familiar, pois disso dependerá a alocação dos gastos diários dos membros da família.

PERGUNTA E RESPOSTA

“Tenho um grave problema de descontrole de orçamento doméstico. Infelizmente, fiz dívidas acima de minha capacidade financeira. Preciso de ajuda para reassumir o controle das minhas finanças. O que eu faço?”

Amarilio, Olaria

Amarilio, os objetivos de ordem financeira e materiais desejados podem ser alcançados com disciplina e visão clara das responsabilidades de cada membro da família com relação aos gastos. Com as facilidades de obtenção de créditos no mercado financeiro, o consumidor está sempre sujeito a se endividar cada vez mais, sem perceber os riscos aos quais está exposto.

Todos esses aspectos fazem com que se torne necessária a busca por um equilíbrio entre o que se ganha e o que se gasta. A montagem de um orçamento doméstico requer a previsão do futuro, ou seja, estimativas do quanto se pretende gastar, com habitação, alimentação, estudos, transportes, lazer, saúde e comunicação.

É muito comum encontrarmos baixo nível de preocupação das pessoas com os gastos, e isso faz com que muitos acabem em dificuldades financeiras. É recomendado distinguir-se as despesas entre aquelas que ocorrem todo o mês, e de maneira constante (as fixas), tais como: pagamento de aluguel, a prestação da casa própria, condomínio, mensalidade escolar. Além daquelas que variam com o tempo (as variáveis), como: alimentação, gastos com água, luz, gás e telefone, cartão de crédito e também transporte.

Destaco, ainda, que na maioria dos casos as despesas eventuais são as responsáveis pelo desequilíbrio financeiro das famílias brasileiras. É um ponto que merece cuidados especiais.

Conclusivamente, acho que você deveria listar todos os gastos mensais e ganhos da família em uma planilha, por exemplo, e a partir daí acompanhar com detalhes a movimentação desses números, procurando não extrapolar nos referidos gastos. Essa simples prática o fará refletir sobre as despesas mensais em detrimento dos ganhos do mesmo período.

Boa sorte!

Você pode gostar