Por tamara.coimbra

Rio - As exportações de carne bovina do Brasil aumentaram 8,6% em julho ante um ano atrás, somando 144,7 mil toneladas, tendo a Rússia como principal destino no mês, informou nesta segunda-feira a associação que reúne a indústria. "O destaque do período foi a Rússia, maior comprador em julho e o segundo maior importador do produto brasileiro no acumulado do ano", disse a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) em nota.

Vendas para a Rússia saltaram 79% no mêsDivulgação

O faturamento no mês subiu 19%, para US$ 691,9 milhões, também favorecido por um aumento no preço médio da tonelada embarcada, como mostra acompanhamento da Secretaria de Comércio Exterior. As vendas para a Rússia saltaram 79% no mês, na comparação anual, somando 41 mil toneladas, com receita 113% maior, totalizando US$ 181 milhões, segundo a Abiec.

A Rússia anunciou na semana passada um embargo às importações de alimentos de vários países, em retaliação às sanções que vêm sofrendo por causa da crise da Ucrânia. As proibições incluem bloqueia a carnes dos Estados Unidos e da Austrália, dois grandes exportadores de carne bovina.

"A Rússia consolidou sua posição como um dos maiores importadores do nosso produto, com um incremento muito representativo no último mês", disse Antônio Jorge Camardelli, presidente da Abiec.

Após anunciar o embargo, o governo russo também praticamente triplicou o número de unidades brasileiras habilitadas para a venda.

"As novas habilitações pelo Serviço Veterinário russo de plantas industriais brasileiras, assim como a autorização para exportar tripas e miúdos, irão seguramente refletir em resultados ainda mais significativos nos próximos meses."

Hong Kong, o segundo maior importador no mês, comprou 35 mil toneladas, com receita de US$ 152 milhões.

Você pode gostar