Aluguel mais barato no Rio

Pesquisa revela queda de 5,27% na Ilha do Governador, 3,1% no Leblon e de 2,7% em Ipanema. Setor já esperava a redução em função da menor procura

Por O Dia

Rio - Passada a organização e promoção da Copa do Mundo na cidade, agosto registrou quedas nos valores de aluguel em alguns bairros do Rio, comparados com o mês anterior. Embora com percentuais menores, o valor das vendas também teve queda. Os dados são do levantamento mensal promovido pelo Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-Rio), divulgados ontem.

O bairro que apresentou a maior desaceleração no valor dos aluguéis foi o da Ilha do Governador, com uma queda de 5,27%, de um mês para outro. Porém, o destaque se concentra na Zona Sul, onde seis dos nove bairros reduziram os percentuais em julho.

De acordo com o Secovi-Rio, que monitora todos os meses os preços de metro quadrado para venda e locação de imóveis em 18 bairros da cidade, o Leblon apresentou a maior baixa na região: desacelerou 3,17% em agosto, passando de R$ 71,35 para R$ 69,09 o metro quadrado.

Depois, vêm o bairro vizinho, Ipanema, com queda de 2,7%, de R$ 73,76 em julho para R$ 71,71 em agosto; e o Jardim Botânico, com desaceleração leve de 1,92%, de R$ 53,70 para R$ 52,67, o metro quadrado.

De acordo com o vice-presidente do Secovi-Rio, Leonardo Schneider, está ocorrendo um equilíbrio natural no mercado, depois uma forte valorização nos últimos dois anos. “Começa a ter mais oferta do que demanda. O mercado cresceu um pouco e o tempo de aluguel está maior, entre três e cinco meses. Então, o proprietário começa a flexibilizar no preço. O mercado se autoadapta”, aponta o dirigente.

Ainda houve queda em Copacabana (-1,45%), Gávea (-1,34%) e Flamengo (-0,30%). No período, os bairros que mais apresentaram alta foram Barra da Tijuca, 3,25%, passando o metros quadrado de R$ 38,41 para R$ 39,66; e Laranjeiras, com 2,62%, de R$ 40,81 para R$ 41,88. No acumulado dos 12 meses, os bairros do Méier (18,56%), Centro (14,92%) e Jacarepaguá (14,56%) tiveram as maiores valorizações.

Preço para venda se manterá estável

Para Leonardo Schneider, do Secovi-Rio, também houve uma pequena redução no valor do metro quadrado dos imóveis para a venda. Mas, segundo o executivo, os preços no Rio de Janeiro ainda deverão se manter estáveis por mais algum tempo e até valorizados, dependendo do bairro, por conta dos investimentos em segurança, nos Jogos Olímpicos e as obras do BRTs, que vão sendo inauguradas.

“O Centro e a Zona Norte são duas regiões que recebem investimentos e, por isso, manterão os valores na faixa atual nos próximos anos”, destaca Schneider.

Conforme a entidade, houve redução em cinco, dos 18 bairros pesquisados: Gávea (-1,33%), Lagoa (-0,81%), Ipanema (-0,72%), Barra e Méier, ambos com -0,08%. O Centro apresentou a maior alta (3,12%) do metro quadrado, passando de R$ 8.178 em julho para R$ 8.433 em agosto.

Últimas de _legado_Economia