Por bferreira

Rio - Os preços dos imóveis no país em agosto tiveram alta de 9,9% nos últimos 12 meses, segundo levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Porém, pela primeira vez, o aumento mensal foi inferior a 10%, desde 2012. Nos últimos nove meses, o índice apresenta desaceleração. Economistas acreditam que os valores devem permanecer neste patamar nos próximos meses.

De acordo com a pesquisa, de janeiro a agosto o valor médio do metro quadrado no país subiu 4,8%, atingindo R$7.415. Alta de 0,8 ponto porcentual superior à inflação esperada para o período (4%), medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Ou seja, na média, os preços tiveram aumento real baixo no ano.

No mês, o índice teve alta de 0,68%, após 0,6% em julho e 0,5% em junho. No Rio, o índice também se manteve estável, com alta de 0,47% em agosto, contra os 0,48% de julho. No acumulado do ano, a alta no Rio foi de 6,13%, atrás de Goiânia (9,1%), Vitória (8,3%), Campinas (7,02%) e Fortaleza (6,68%). Ainda assim, a capital fluminense tem o metro quadrado médio mais caro do país, de R$ 10.749.

É o primeiro mês que o índice pesquisou 20 cidades. Até julho, eram 16. A acomodação dos preços, após o crescimento dos últimos anos, é tendência, avalia Bruno Oliva, economista da Fipe.

“Os preços estão perdendo força. Daqui em diante, acreditamos que os preços vão se acomodar”, disse, acrescentando que a inclusão de quatro novas cidades não influenciou nos números. “O índice ficaria abaixo de 10% de qualquer forma”.

Um metro por 22,712 mil

O Estado do Rio tem o metro quadrado mais caro do Brasil, custando em média R$ 10.749, ficando à frente de São Paulo, com o valor de R$ 8.243, e Brasília, que custa R$ 8.084. O bairro do Leblon, na Zona Sul, é o local com o preço mais elevado no país para quem deseja comprar um imóvel, conforme o Índice Fipe Ampliado. O valor mais baixo, na Pavuna, Zona Norte, equivale a 10% do valor do metro quadrado do bairro do Leblon.

O metro quadrado no Leblon custa R$ 22.712, seguido pelo bairro de Ipanema (R$ 20.341), em terceiro, a Lagoa (R$ 18.041), Gávea em quarto (R$ 17.844) e em quinto o Jardim Botânico (R$ 16.661).

Já o bairro mais barato na capital fluminense é a Pavuna, onde é preciso desembolsar R$ 2.284 pelo metro quadrado. O segundo bairro mais barato é Guadalupe (R$ 2.670), em seguida está Bangu (R$2.751), Coelho Neto (R$ 2.837) e Jardim América (R$ 2.913).

Você pode gostar