Falta de capacitação atinge 63% dos trabalhadores brasileiros

Brasileiro leva um dia para produzir o que norte-americano faz em cinco horas

Por O Dia

Rio - A falta de qualificação chega a 63% do total de trabalhadores no país. O resultado é o dobro da média mundial (36%), aponta a pesquisa da empresa de recrutamento ManpowerGroup. Com isso, nove entre cada dez empresas brasileiras abrem mão da experiência ao preencher os quadros de funcionários, mostrou outro levantamento, da Fundação Dom Cabral (FDC). No Brasil, os profissionais qualificados mais difíceis de encontrar são os operários e técnicos.

Os principais entraves para assinar carteiras são a escassez de trabalhadores capacitados (83,23%) e a deficiência na formação básica (58,08%). Com essas carências, algumas empresas que exigiam pós-graduação e fluência no inglês retiram os requisitos e oferecem benefícios para reter os empregados já contratados.

Segundo a pesquisa da ManpowerGroup, hoje um brasileiro leva um dia para produzir o que o norte-americano faz em cinco horas, o alemão em seis horas e o chinês em oito horas. “Nossa produtividade cresce a um ritmo menor que o custo do trabalhador”, afirmou o ex-chefe da Assessoria Técnica do Ministério do Trabalho, José Pastore.

A dificuldade de encontrar mão de obra qualificada também tem levado 81% das empresas a intensificar a capacitação no ambiente de trabalho, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A falta de procura por ensino técnico levou o governo federal a aumentar o número de matrículas do Pronatec de 8 milhões para 12 milhões para próximos quatro anos. O levantamento da FDC revela também que as funções técnica e operacional são as posições de qualificação mais precárias (50,62%).

O Senac RJ abriu processo seletivo para contratação de mais de 600 instrutores, em diversos municípios da capital. As inscrições vão até o dia 21 de setembro e devem ser feitas pelo endereçowww.rj.senac.br/sobre/trabalheconosco.

Há vagas para Níveis Técnico e Superior em áreas do conhecimento como Saúde, Gestão, Beleza, Tecnologia da Informação, Turismo e Hotelaria, Gastronomia, Comunicação, Idiomas, Educação Corporativa, Segurança do Trabalho, Moda e Design.

Profissionais qualificados

Operários: profissionais qualificados ganham, em média, R$ 1,5 mil por mês.

Técnicos: setor de eletricidade pode pagar salários entre R$ 2 mil e R$ 5 mil.

Motoristas: condutores de veículos especializados ganham até R$ 2 mil.

Secretárias e assistentes: interessados podem receber cerca de R$ 2,5 mil.

Recursos Humanos: empresas oferecem aos profissionais até R$ 10 mil.

Profissionais de TI: ganham até R$ 5 mil.

Contadores: especialistas em finanças recebem até R$ 10 mil.

Profissionais de meio ambiente: companhias podem pagar até R$ 15 mil.

Engenheiros: poucos formados têm ganhos que chegam a R$ 20 mil.

Profissionais de Saúde: salários de até R$ 20 mil.

Últimas de _legado_Economia