Polícia Federal abre concurso para 600 vagas de agente

Salário inicial de R$ 7.514 é o principal atrativo. Inscrições serão aceitas de 6 a 26 de outubro

Por O Dia

Rio - A Polícia Federal (PF)abre no próximo dia 6 o esperado concurso com 600 vagas de agente para atuação em todo o país. A remuneração inicial é de R$ 7.514,33. As normas da seleção estão previstas no edital que foi publicado ontem em Diário Oficial, atendendo orientação feita pelo Ministério do Planejamento, segundo a qual a PF tinha até o dia 26 deste mês para divulgar as regras do processo seletivo.

Além da prova objetiva%2C candidatos vão passar por teste de aptidão física. Após treinamento%2C aprovados vão trabalhar nas fronteiras do paísEBC

Os candidatos precisam ter diploma de Nível Superior em qualquer área de formação e carteira de motorista na categoria “B” (para dirigir veículos de passeio).

Além do salário, os aprovados terão direito a auxílio alimentação no valor de R$373. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais em regime de tempo integral e com dedicação exclusiva, ou seja, o agente não pode exercer outra função remunerada no governo ou na iniciativa privada.

Como era esperado, a seleção ficou a cargo do Cespe/ UNB , banca exigente e que as provas assustam os candidatos porque cada erro no teste elimina um acerto. As inscrições vão o dia 26 de outubro e só serão aceitas pela internet no site https://www.cespe.unb.br/concursos/dpf_14_agente/.

Logo após o cadastro, o candidato terá de imprimir, seguindo a orientação do site, boleto para pagar a taxa de R$150. É no ato da inscrição que o candidato deverá informar em qual estado e cidade ele pretende fazer o concurso para agente.

A seleção prevê prova objetiva com questões de múltipla escolha, prova discursiva, exame de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e investigação social, ou seja, candidatos ligados a atividades criminosas são eliminados sumariamente.

Essa avaliação é feita com a coleta de informações sobre a vida do candidato, suas condutas social e profissional a fim de avaliar se ele possui idoneidade ética e moral para exercer o cargo.

Os aprovados na etapa das provas passarão por curso de formação profissional, que também é eliminatório. De acordo com jurisprudência firmada este ano, durante o curso o candidato deve ser remunerado com auxílio financeiro equivalente a 50% do valor do salário que é pago à classe inicial do cargo de agente.

As provas objetiva e discursiva estão marcadas pelo edital para o dia 21 de dezembro. As demais etapas da seleção vão ocorrer somente no ano que vem.

O resultado das provas sairá no Diário Oficial da União na última semana de janeiro de 2015, provavelmente no dia 26. O curso de Formação vai ocorrer na Academia Nacional de Polícia, em Brasília, em regime de internato.

As aulas estão previstas para começar somente em 3 de agosto. A classificação final com base na nota obtida no curso permitirá ao candidato escolher em qual estado vai atuar inicialmente. As vagas são para Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima e em unidades de fronteira.

Resolver prova antiga dá segurança

O candidato que fará o concurso da Polícia Federal deve começar a estudar o quanto antes. Fazer provas de seleções anteriores ajuda a dar segurança. O aluno precisa levar em conta a banca, nesse caso o Cespe/UNB.

“O candidato deve estar atento, principalmente, para as alterações legislativas dos tribunais superiores”, destaca Emerson Castelo Branco, professor do curso Agora Eu Passo.

O coordenador do C3 Concursos, Rodrigo Janiques, destaca que a disciplina de Economia será abordada em questões de Microeconomia, diferente do último edital.

Outro conselho é estudar informática. “É aconselhável rever o Office 2010 e o 2013”, disse Frank Mattos, professor do Universo do Concurso.

Dar ênfase no ponto fraco

O administrador Claudio Neves, 39 anos, já está estudando há um tempo para a área de segurança, especialmente a Polícia Federal. “Com a saída do edital, vou planejar melhor e intensificar a estratégia de manutenção dos pontos fortes e dar ênfase maior às matérias que considero meus pontos fracos”, disse.

Neves estuda diariamente pelo menos cinco horas. “Deixo uma hora e meia para fazer exercício, no mínimo, 50 questões da banca que organiza o concurso”, afirma o administrador.

Segundo ele, uma maneira de estudar é priorizar uma matéria por tema. “Meu percentual de acertos chegou a 95%. Em se tratando de questões da banca Cespe, é um número positivo. Você massifica e assimila o conteúdo”, diz.

Últimas de _legado_Economia