Podemos aprender algumas lições com a Intel

Mais do que o aparelho, a inteligência que permite essa conexão é o que interessa

Por O Dia

Rio - Maior fabricante de chips do mundo, a Intel anda passeando pelo futuro. E o futuro de boa parte das empresas de tecnologia — e de nós, humildes usuários — tem a ver com software. Por isso, podemos aprender algumas lições com a Intel.

Maior fabricante de chips do mundo%2C a Intel anda passeando pelo futuro.Arte%3A O Dia

A primeira é que a indústria de hardware parece limitada. Mas a de software é infinita, porque demanda inteligência e criatividade.São dois recursos que, a despeito do que vemos no horário eleitoral, são virtualmente abundantes no país.

Outra sacada importante, para quem lida com tecnologia, é ver que quase tudo estará conectado à internet algum dia, e a Intel quer estar presente nos dispositivos que vão enviar para a rede as toneladas de bytes, dia após dia, quando a tal Internet das Coisas estiver a pleno vapor. Mais do que o aparelho conectado, o que interessa é a inteligência que permite essa conexão. E cada grupo de usuários tem sua necessidade.

Temos, então, outro aprendizado, seja você funcionário ou dono de empresa: quem manda é o cliente. É a necessidade dele que vai determinar a sua sobrevivência no mercado.

A Intel, por exemplo, está investindo alguns milhões para capacitar centros independentes de design na área de dispositivos. O Brasil é fraco nessa praia. Países asiáticos abocanham 95% desse mercado em todo o mundo. Vamos tropicalizar o setor, portanto. A partir do ano que vem, pesquisadores brasileiros vão puxar nove meses de estudos na Ásia, e vamos ver no que dá. Não há por que dar errado, afinal. É sob medida para o que o cliente brasileiro está querendo.

Com isso, temos outra lição: tente ser o catalisador de uma indústria. Você financia, incentiva, alimenta os parceiros, e depois se firma no centro do mercado.

Carros, por exemplo. Em parceria com a brasileira Autofind, a Intel investiu num dispositivo que armazena e transmite inúmeras informações sobre um veículo. Com isso, facilita o pagamento não só de pedágios, o que já existe há séculos, mas pode viabilizar pagamento de combustível em postos, por exemplo, ou controlar taxas, multas e todas aquelas pragas que os departamentos de trânsito inventam. Sem falar na própria segurança do veículo. Por que um dispositivo como esse não pode estar acoplado à roupa de alguém? Ou à coleira do seu bichinho de estimação? Essas ‘coisas’ já existem, mas o que a gente vê, agora, é que seu potencial de uso é virtualmente infinito. É um sinal de que estamos apenas começando nossa viagem.

NOTAS

VIVA NÓS
Hoje é comemorado o Dia Mundial do Idoso. Para marcar a data, está chegando à web o portal Curso da Vida, dedicado a atividades de cultura, lazer, direitos e bem-estar da chamada melhor idade. É uma boa sacada, considerando que é um segmento cada vez mais ligado à internet. Vida longa para o www. cursodavida.com.br.

VENDA SUAS FOTOS
A Fotolia lança a versão Android do aplicativo gratuito “Fotolia Instant”, que já existia no iOS. Com ele, o usuário pode negociar suas fotos. Cada imagem vendida se reverte em um crédito equivalente a US$ 1 para o autor, que poderá resgatar o dinheiro ao atingir a marca de US$ 50. Não custa experimentar.

VASTO MUNDO
A Imagem criou o portal www.img.com.br/eleicoes2014, que coleta no Twitter informações a respeito dos debates que estão rolando na TV. É possível registrar no mapa onde e o que os tuiteiros estão falando sobre os candidatos. A bem da verdade, às vezes é triste...

Últimas de _legado_Economia