Antropologia do consumo é tema de discussão

Curso vai mergulhar no universo do cliente para oferecer ao consumidor um produto muito próximo do que ele deseja comprar

Por O Dia

Rio - Imagine-se mergulhando no universo do cliente para compreender melhor seu pensamento e, com este trunfo na mão, planejar suas ações. Agora pense nos dividendos que isso pode gerar para o seu negócio, que vai oferecer ao consumidor um produto muito próximo do que ele deseja. Foi exatamente este o pensamento que moveu a antropóloga do consumo Hilaine Yaccoub e a designer Carol Althaller na criação do CultureLab Tendências e Consumo, laboratório de pesquisa e análise de tendências que elas reabrem a partir desta segunda-feira, no Studio 512, na Rua Jardim Botânico 512.

“Insistir em estereótipos é neglicenciar seu cliente”, diz Hilaine, que já está na terceira versão do curso livre, com duração de 12 horas. Serão quatro aulas de três horas cada, nos dias 13, 15, 20 e 22 deste mês. “Olhar para o outro é desconstruir suas próprias certezas. A ideia é mostrar aos alunos técnicas que podem nos ajudar a realizar isto.”

Carol lembra que o país ainda engatinha nesta nova forma de ver o mercado — tendência que ganha força na Europa e Estados Unidos. “A área de planejamento das agências só orientava para concorrência e mercado. Há muita suposição e nós ensinamos as pessoas a se colocarem no lugar do consumidor”, diz.

A história do curso guarda uma curiosidade. Agora consolidado, teve início apenas com Hilainne, que no primeiro encontro conheceu Carol e, expert em se pôr no lugar dos outros, percebeu que poderia complementar as aulas com a sua então aluna. “Há um interesse cada vez maior das pessoas em estarem juntas procurando meios de cada vez mais partilharem coisas em comum. Isso passa pelas redes sociais e estará em nosso curso”, diz Hillaine. “É preciso aprender a observar o outro e ver o que acontece na cidade. Carol é especialista nisso.”

Experiência em favela de São Cristóvão

Durante três anos, a doutoranda em Antropologia, Hilaine Yaccoub viveu na Barreira do Vasco, favela em São Cristóvão, onde aprendeu a importância de escutar as pessoas. Sua experiência em breve vai se transformar num curso, onde pretende ensinar os segredos da chamada ‘nova classe média.’

“Foi uma experiência incrível. Aprendi muito sobre a solidariedade e encontrei um povo festeiro”, afirma ela, que nunca mais se esquecerá da experiência. “Mas agora, neste curso, o foco é o consumidor. É claro que a minha vivência na favela me ensinou muito a entender o outro, a me pôr no lugar do outro, e isso tem influência no CultureLab”, completa.

Curso permeia diversas áreas profissionais

Promovido pelo Studio 512, o curso CultureLab Tendências e Consumo, alertam as jovens, serve para profissionais de moda, agências, design entre outros. “Vamos falar de estilos de vida. Todo profissional precisa entender o caráter humano do que faz”, emenda Carol. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo email contatostudio512.com.br.

Já o craque da fotografia Luiz Garrido retorna ao Studio 512 para apresentar uma versão pocket da sua oficina de fotografia. O tema é o mesmo que o consagrou como um dos profissionais mais renomados do país: Retratos. No próximo sábado, 18 de outubro, das 9h às 18h.

Já o curso sobre impressionismo e pós-impressionismo e suas influências nas questões da arte moderna visa abordar e explicar a arte enquanto conhecimento. De 3 a 24 de novembro.

Últimas de _legado_Economia