Por felipe.martins

Rio  - Dois modelos de fogão a gás foram eliminados na avaliação da Proteste — Associação de Consumidores feita com oito marcas. O Esmaltec Ibiza Vitro e o Mueller Sorella apresentaram risco de tombar. A entidade pediu ao Inmetro o cancelamento do registro dos produtos irregulares. As duas empresas contestaram o resultado.

Pelo teste, os dois equipamentos reprovados não suportaram o peso de 22,5 quilos colocado na porta do forno e tombaram. Se uma criança se apoiar na porta de vidro, por exemplo, o eletrodoméstico pode cair em cima dela, informou a entidade. Por isso, foram considerados inseguros e eliminados.

Para a Proteste, os dois modelos desrespeitaram a norma de certificação do Inmetro. Dino Lameira, pesquisador que coordenou o estudo, explica que a segurança é item eliminatório. “O produto pode ter outros quesitos excelentes, mas se não for seguro ele é eliminado”, pondera Lameira.

O coordenador, contudo, vê melhora na qualidade dos eletrodomésticos. “O ponto positivo da avaliação é que menos modelos foram eliminados nesse quesito em relação ao último teste feito em 2012”, disse. Questionada, a Mueller informou por meio de nota desconsiderar o resultado por não conhecer a metodologia adotada. “Todos os produtos estão em conformidade com a legislação, são testados regularmente por laboratórios acreditados pelo Inmetro e nenhum dos modelos de fogão da empresa apresentou problemas”.

Modelos eliminados não suportaram peso de 22%2C5 quilos colocados na porta do forno e tombaram. Se uma criança se apoiar na porta de vidro%2C o fogão pode cair em cima delaArte O Dia

Lameira diz que a Proteste segue a norma brasileira de testes feitos em laboratório creditado pelo Inmetro. “As marcas não podem contestar a metodologia. Nós repetimos o teste para ver se o problema é pontual ou não”, acrescenta o coordenador.

A Esmaltec informou em nota que o fogão mencionado está dentro dos padrões exigidos, mas que vai averiguar o laudo técnico. “Testes de desempenho acontecem periodicamente. Até o momento, não recebemos informação sobre a avaliação”, informou a empresa.

Além de duas marcas eliminadas, outros modelos foram considerados ruins na segurança térmica. São eles Consul Erva Doce e Electrolux. Eles apresentam altas temperaturas em partes nas quais o usuário pode se queimar. 

Variação de temperatura

Problema comum a quase todos os fogões é a diferença entre a temperatura indicada e a encontrada dentro do forno. Para avaliar o calor dentro do forno, foram preparados bolo, torradas e frango.

O forno Electrolux foi o que assou melhor o bolo, em 24 minutos. O pior foi o Consul. Para as torradas, o Electrolux se sobressaiu. O Continental teve pior desempenho, por concentrar o calor no meio do forno. O Brastemp preparou o frango bem e o Dako foi o que assou menos uniformemente.

No quesito segurança térmica, só não houve produtos eliminados porque os níveis medidos estão dentro do permitido pela legislação brasileira, considerada permissiva. Porém, os fabricantes têm até 2016 para se adaptar a padrões internacionais, mais exigentes. Só Atlas, Brastemp, Continental e Dako seguem padrões europeus.


Você pode gostar