Por thiago.antunes

Rio - Aposentados, pensionistas e segurados do INSS que ainda não fizeram a prova de vida têm exatos 59 dias para resolver a pendência. Do contrário, a Previdência Social suspenderá o pagamento dos benefícios. Os depósitos só voltarão a ser normalizados após a renovação da senha bancária. O prazo para o acerto termina no dia 31 de dezembro.

O procedimento é feito nos bancos onde o aposentado recebe mensalmente, sem necessidade de ir ao posto do INSS. Os aposentados e pensionistas precisam apresentar documentos de identificação com foto, como a identidade, a carteira de trabalho ou a de motorista. Os bancos que possuem a tecnologia da biometria podem usá-la neste recadastramento de senha.

Faltam 59 dias para o fim do prazo da prova de vidaDivulgação

As instituições financeiras comunicam seus correntistas como fazer a prova de vida. No Itaú, por exemplo, o segurado deve ir ao guichê de caixa de qualquer agência do banco com documento e o seu cartão. No Bradesco, os beneficiários são avisados sobre a necessidade do recadastramento por meio de mensagens em comprovantes de saque com cartão e nas consultas de benefícios, saldos e extratos. Além do procedimento convencional, o banco também usa a biometria nas máquinas de autoatendimento.

O Ministério da Previdência garantiu que desta vez não haverá prorrogação de prazo, como ocorreu no começo do ano, quando o período acabaria em fevereiro e foi estendido até dezembro. O Rio é o terceiro colocado na lista do estados com maior número de pendências. Perde apenas para São Paulo, no topo do ranking com 342.805 segurados que ainda não acertaram os dados, e para Minas Gerais. Lá, 155.021 pessoas não tinham apresentado a documentação até o mês de outubro.

No Rio de Janeiro são, segundo dados do INSS, 101.947 aposentados e pensionistas em risco de perder o benefício, caso não compareçam ao banco para renovar a senha. No total 1.339.811, em todo o país, precisam apresentar os documentos. O número equivale a 4,5% do universo de beneficiários da Previdência Social no Brasil, que chegam a 31,1 milhões.

A prova de vida é um procedimento obrigatório e tem por objetivo, segundo o INSS, “dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, evitando pagamentos indevidos de benefícios e fraudes. A renovação deve ser feita pelos segurados que recebem o pagamento do benefício por meio de conta corrente, conta poupança ou cartão magnético.

Dificuldades

O INSS lembra que os segurados que não puderem ir ao banco, por motivos de doença ou dificuldades de locomoção, podem renovar a senha por meio de procurador devidamente cadastrado no instituto. Quem mora no exterior também pode usar procurador registrado ou providenciando documento de prova de vida emitido pelo consulado brasileiro no país onde vive.

Como fazer

Para fazer o documento, o representante precisa comparecer a uma agência da Previdência, levando a procuração atestado médico que comprove a impossibilidade de locomoção do segurado, além sua identificação. O modelo da procuração está em (http://www.previdencia.gov.br/forms/formularios/form011.html) no site www.previdencia.gov.br.

Você pode gostar