Por bferreira

Rio - O pagamento do 13º salário para cerca de 84,7 milhões de brasileiros nos dois próximos meses vai injetar R$158 bilhões na economia do país. O total representa aproximadamente 3% do Produto Interno Bruto (PIB). O levantamento é do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que considerou o montante que será pago a trabalhadores do mercado formal, incluindo empregados domésticos, beneficiários da Previdência e aposentados e pensionistas da União, estados e municípios. O rendimento adicional será, em média, de R$ 1.774, por pessoa.

De acordo com o Dieese, 38,6% do total de brasileiros são aposentados ou pensionistas da Previdência, o que representa 32,7 milhões de pessoas. Já os empregados da iniciativa privada representam 61,4% de brasileiros que vão receber o abono, ou 52 milhões de pessoas. Entram neste último grupo os empregados domésticos com carteira assinada, representando 2,122 milhões de pessoas. O Dieese esclareceu também que não foi possível quantificar o conjunto constituído por aposentados e pensionistas dos estados e municípios (do regime próprio) que vai receber o 13º salário.

O departamento destacou ainda que o número de pessoas que receberá o abono de Natal em este ano é cerca de 2,9% superior em comparação com os cálculos de 2013. De acordo com estimativas do Dieese, aproximadamente 2,39 milhões de pessoas passarão a receber o benefício por terem requerido aposentadoria ou pensão, se incorporado ao mercado de trabalho ou ainda por terem seu vínculo empregatício formalizado.

Ao considerar o montante que deve será pago neste ano, de R$ 158 bilhões, os economistas do Dieese avaliaram que o valor é 10,1% maior do que o estimado para 2013, de R$ 143 bilhões. A Região Sudeste vai concentrar o maior volume de pagamentos do 13º no país, num total de 51%. O percentual reflete a maior capacidade econômica do país.

A maior parcela do montante a ser distribuído será paga aos que estão empregados no setor de serviços (incluindo administração pública). Esse grupo vai ficar com 60,9% do total destinado ao mercado formal; os empregados da indústria receberão 19,2%; os comerciários terão 12,9%. Já os trabalhadores na construção civil receberão 5,15% do total e os da agropecuária, 2%.

Segundo o Dieese, em termos médios, o valor do 13º salário pago ao setor formal corresponde a R$ 2.196. A maior média deve ser paga para o setor de serviços, que equivale a R$ 2.500.

CONFIRA

INSS
Segunda parcela do 13º. Até um salário mínimo (R$724): final de inscrição 1, 24 de novembro; final 2, dia 25; 3, dia 26; 4, dia 27; 5, dia 28; 6, 1º de dezembro; 7, dia 2; 8, dia 3; 9, dia 4 e final 0, dia 5. Acima de um salário mínimo: finais 1 e 6, 1º de dezembro; 2 e 7, dia 2; finais 3 e 8, dia 3; finais 4 e 9, dia 4 e finais 5 e 0, dia 5.

INICIATIVA PRIVADA
A primeira parcela sai até o dia 30. A segunda será liberada até 20 de dezembro.

GOVERNO FEDERAL
A segunda parcela será paga dia 1º de dezembro.

ESTADO DO RIO
Quem recebe acima de R$ 950 receberá a segunda parcela do 13º salário no dia 19 de dezembro.

PREFEITURA DO RIO
Segunda parcela ainda sem data de pagamento.

Você pode gostar