Por bferreira
Publicado 21/12/2014 23:17 | Atualizado 21/12/2014 23:19

Rio - Com a chegada das festas de fim de ano, um dilema surge para os concurseiros. Parar de estudar neste período ou continuar? Especialistas em concursos públicos dizem que pequena parada não compromete os estudos, mas não vale perder o foco e exagerar nas comemorações.

Para Sérgio Camargo, advogado especializado em concursos, as horas de lazer são importantes para a aprovação em seleções. Mas o candidato não deve parar totalmente, por qualquer razão que seja. “As festas de fim de ano, assim como Carnaval servem de justificativa ‘psicológica’ para várias razões: sair da dieta; trabalhar menos ou com ter menor dedicação, parar os estudos, beber ou comer mais; enfim, o fato é que o candidato deve ter foco. Mas é óbvio que não pode deixar de celebrar, e usar o momento para o lazer necessário ao cérebro”, orienta.

DESCANSO É FUNDAMENTAL

Para Marcelo Marques, diretor do site Concurso Virtual, afirma que uma pausa para o descanso é fundamental. No entanto, ele recomenda moderação. “Dizer para o candidato estudar, sem parar, inclusive sacrificando datas comemorativas como Natal e Ano novo é, no mínimo, um equívoco. Entretanto, se houver exageros nas comemorações o plano de estudo pode ser prejudicado”, orienta.

Para aqueles que estão com provas marcadas para o início de 2015 a recomendação é não parar. “Quem mantem algum ritmo de estudos certamente sai na frente. Ainda que seja válido comemorar as festas de fim de ano, o foco em ser aprovado deve prevalecer, sendo certo que as horas propiciadas pelo fim de ano serão de grande valia para aprimorar os estudos do começo de 2015”, recomenda o advogado Sérgio Camargo.

A advogada Roselane Barbosa, 40, aluna do Universo do Concurso, não vai parar de estudar. “O que importa é o ato continuo dos meus estudos, por isso, datas comemorativas como aniversários de amigos, baladas, Natal, fim de ano entre outros, não me impedem de cumprir esse compromisso”, conta a advogada que se prepara para as provas de delegado da Polícia Federal.

Roselane estudará com Luanda Rudino, 32. “Vou conciliar as atividades com as festas e assim que entrar 2105, focar em treinamentos de exercícios cobrados pela banca”, diz Luanda, que fará a prova da Abin.

Dedicação dobrada

Aqueles que optarem por não estudar no período das festas de fim de ano devem dobrar o tempo de dedicação para correr atrás do tempo perdido. Assim recomenda o advogado especializado em concursos Sérgio Camargo. “O candidato precisa ter em mente que o sucesso em certames depende da sedimentação de conhecimento e as interrupções não contribuem, ao contrário, prestam-se a desmotivar e interromper os estudos que podem já ter tomado ritmo adequado após longa dedicação”, ressalta.

Segundo Marcelo Marques, diretor do site Concurso Virtual, é preciso concentração e, sobretudo, ter a consciência tranquila. “Se a decisão do candidato é estudar no lugar de comemorar, então que o faça sem arrependimento. O contrário também, ou seja, se ele resolveu se divertir e largar os estudos nessa data, que se divirta e relaxe com o compromisso de recuperar no pós-festas”, orienta Marques.

Você pode gostar