Por felipe.martins
Publicado 30/12/2014 01:25 | Atualizado 30/12/2014 01:25

Rio - As contas do governo fecharam o mês passado com o pior resultado para os meses de novembro em 18 anos. Foi registrado déficit primário (despesas maiores que as receitas) de R$ 6,71 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Banco Central.

Os resultados acabaram levando o país a marcar, pela primeira vez desde o início da série histórica do BC em 2002, saldo negativo primário equivalente de 0,18% do Produto Interno Bruto (PIB). Mesmo diante do iminente resultado negativo, o governo não sofrerá punições porque conseguiu aprovar no Congresso Nacional, depois de muito esforço político e sob pesadas críticas, mudança na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014, que, na prática, acabou com a meta de primário deste ano.

Apesar dos dados ruins, o chefe-adjunto do Departamento Econômico do BC, Fernando Rocha, repetiu que a autoridade monetária vê a política fiscal caminhando para a neutralidade em termos inflacionários. Em separado, o Tesouro Nacional divulgou que o rombo nas contas do governo central foi pressionado pelo pagamento da segunda parcela do 13º salário a aposentados e pensionistas e pagamento de sentenças judiciais.

Num esforço para reverter a progressiva deterioração das contas públicas e reconquistar a confiança dos agentes econômicos, a nova equipe econômica — encabeçada pelos ministros indicados Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento), além do presidente do BC, Alexandre Tombini — anunciou nova meta de primário para 2015, equivalente a 1,2% do PIB. Entre outros pontos, já informou que quer acabar com os aportes aos bancos públicos para tirar o peso sobre a dívida bruta do país. Para tanto, há poucos dias elevou parte das taxas de juros subsidiadas do BNDES.

DÓLAR SOBRE MAIS DE 1%

A moeda norte-americana fechou em alta ontem com investidores ainda aguardando detalhes sobre o programa de intervenção no câmbio do Banco Central, que será estendido no ano que vem, em uma sessão marcada por poucos negócios a dois dias do feriado de Ano Novo. A divisa subiu 1,23%, a R$ 2,7071 na venda.

Já o Ibovespa fechou com alta de 0,9%, a 50.593 pontos à medida que o mercado norte-americano se manteve de seus níveis máximos. Em dezembro, o índice acumula baixa de 7,55% e, no ano, queda de 1,77%.“O movimento de hoje foi pontual, de encerramento de ano”, disse João Medeiros, da Pioneer Corretora.

Você pode gostar