Por felipe.martins

Rio - Os financiamentos imobiliários contratados na Caixa Econômica Federal com recursos da poupança terão os juros corrigidos a partir da próxima segunda-feira. O banco anunciou oficialmente <CW-15>ontem as alterações. Os novos contratos com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida e do FGTS não sofrerão qualquer correção. Os que já estão em vigor também estão livres de mudanças.

Em nota, a Caixa afirmou que a alteração se deve ao aumento da taxa de juros básicos (a Selic), que atualmente está no patamar de 11,75% ao ano. No Sistema Financeiro da Habitação (SFH) não houve alteração para quem não é correntista do banco e as taxas de juros foram mantidas em 9,15% ao ano. Para os correntistas, os juros vão subir de 8,75% para 9% ao ano. Já os mutuários com conta na instituição e que recebem salários pelo banco sofrerão reajuste de 8,25% para 8,7% ao ano.

Programa Minha Casa Minha Vida não sofrerá correção em juros Tomas Silva / ABR

O funcionalismo público, que tem condições especiais pela Caixa, também não escaparam do aumento. Para quem é correntista, a taxa vai subir de 8,6% para 8,7%. Quem optar receber o salário pelo banco vai pagar juros de 8,5% ao ano, em vez os 8% praticados atualmente</CW>.

O SFH oferece financiamento de até 90% para residências de até R$ 650 mil. Nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e em Brasília, o valor máximo de avaliação do imóvel corresponde a R$ 750 mil.

Ao lado é possível conferir algumas simulações feitas pelo diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel José Ribeiro de Oliveira. Foram considerados residências no valor de R$ 500 mil.

Professor de Finanças do Ibmec e Fundação Dom Cabral, Gilberto Braga prevê que as alterações provocarão retração nos financiamentos, afetando a indústria de construção civil, e que a médio prazo haverá redução nos preços dos imóveis, principalmente a partir do segundo semestre deste ano.

Confira as simulações

Financiamento no valor de R$ 500 mil, Sistema de Amortização SAC, pelo SFH. Taxa de balcão: se mantém em 9,15% ao ano, em 360 parcelas mensais, a primeira no valor de R$5.201,39 e a última no valor de R$ 1.399,48. Quando houver relacionamento mais salário: vai de 8,25% para 8,7% ao ano. Em contrato de 360 parcelas, a primeira é de R$ 4.826,39 e a última, de R$ 1.398,44. A primeira vai subir para R$5.013,89 e a última, R$1.398,96.

Financiamento no valor de R$ 500 mil pela tabela Price pelo SFH: a taxa de balcão se mantém em 9,15%, 360 parcelas mensais de R$ 3.937,07. Relacionamento (mais salário): era 8,25% vai para 8,7%. Antes, o consumidor pagaria 360 parcelas mensais de R$ 3.640,98. Agora, vai pagar mensais de R$ 3.809,19.

Você pode gostar