Plano de estudo é a forma eficiente de aprendizagem

Calcular tempo dedicado, escolher um perfil de concurso e criar rotina são estratégias

Por O Dia

Rio -  Montar um plano de estudo é uma das principais ferramentas para se dedicar de forma eficiente e otimizada os estudos. Calcular de forma realista o tempo de dedicação, escolher um perfil de concurso que deseja, criar rotina, fazer questões de provas anteriores e simulados são ações necessárias dentro deste planejamento.

Elisabete Barros montou agenda de acordo com seus horários vagosDivulgação

João Mendes, coordenador do curso Ênfase, diz que quem estuda de forma equilibrada as matérias sai na frente. “Há uma tentação de estudar as matérias que mais gosta. Quando o candidato se encontra cansado, esgotado, é normal ‘fugir’ para as matérias que mais gosta, por se sentir mais confortável e, consequentemente, menos estafado. Porém, a aprovação exige um conhecimento igual e aprofundado de todas as matérias”, aconselha Mendes.

O coordenador do curso Ênfase destaca que o concurseiro não pode interromper um tema que está estudando pelo meio e começar outro. Mendes revela que há candidato que passa de uma matéria para a outra antes de completar o raciocínio só porque definiu estudar um tema por dia ou durante um certo número de horas. “O problema é que, se não concluir o tema todo no retorno a ele, o candidato provavelmente terá esquecido tudo o que estudou precisando rever para continuar de onde parou. Ele perde assim tempo precioso e quebra a lógica do raciocínio. Então, só mude ao esgotar o assunto estudado”, orienta.

Tanguy Baghdadi, coordenador do curso Clio4, revela ser necessário criar uma rotina de estudos. Ele diz que a pessoa deve saber quais matérias serão estudadas a cada dia da semana e separar um dia para exercícios e simulados. “Isso é fundamental para que você sinta os seus estudos progredirem. O planejamento é algo muito individual e deve se adaptar à rotina de cada pessoa, mas é indispensável para que não se tenha um desequilíbrio na preparação para cada tema. Não se esqueça de separar um tempo em sua semana para atividades de lazer e descanso”, aconselha Baghdadi.

A engenheira Elisabete Barros, 58, aluna do Concurso Virtual, montou uma agenda de acordo com seus horários vagos, pois diz não poder abrir mão de compromissos. “Quando verifico minha atividades vejo que posso cortar bastante coisa e ocupar o espaço vago com estudo”, revela a concurseira.


Tempo real para o estudo

João Mendes, coordenador do curso Ênfase, alerta para se fazer um cálculo realista do seu tempo de estudo. Segundo ele, o concursando precisa verificar quantas horas de fato terá para estudar a cada dia. “Não adianta programar o tempo que considera ideal, mas sim o que é real. Nesse cálculo devem ser considerados os diversos elementos que compõem o dia, tais como período do trabalho, locomoção, alimentação, tempo para a família e descanso”, aponta.

Escolher um perfil de concurso é outro ponto destacado pelo coordenador do curso Ênfase. “O risco é atirar para todos os lados e, ao fim, não conseguir acertar alvo algum. É importante considerar que há concursos com perfis muito distintos, demandando estratégias diferenciadas. Assim, ao não focar em um tipo, o candidato pode desviar sua atenção constantemente e nunca concluir o estudo do conteúdo programático de um concurso”.

Últimas de _legado_Economia