Gilberto Braga: Temperatura e taxas nas alturas

Já está na hora de firmar o pensamento e pedir para Deus mandar um WhatsApp para São Pedro, liberando a chuva, aliviando o nosso bolso e mandando Satanás para a Indonésia

Por O Dia

Rio - Li nas redes sociais uma postagem em que uma internauta perguntava se Satanás tinha se mudado aqui para o Rio. Por que? Indagava o interlocutor. E a primeira pessoa completava com a explicação: porque isso aqui está parecendo o inferno. Com todo o respeito a você, meu leitor semanal, acho que não existe resposta mais adequada para o momento que estamos vivemos.

Obviamente que começamos pelo calor excessivo, como se fosse o maçarico ligado sobre as nossas cabeças cada vez mais quentes. Há falta de água em quase todos os bairros do Rio, até nos locais dos bacanas, como o Recreio dos Bandeirantes e a Barra da Tijuca.

Há o aumento dos tributos e aqueles que caem no colo todo início de ano. O IPTU mais salgado da moradia. O carro se desvaloriza, mas IPVA aumenta. A volta da Cide dos combustíveis, que impactará mais 10% na hora de abastecer o veículo no posto. O reajuste a menor da tabela do Imposto de Renda dos assalariados, que implica em uma mordida maior do Leão. A elevação de 1,5% para 3% no IOF dos empréstimos, dificultando ainda mais a vida de quem já está endividado.

Também contribuem o aumento do imposto dos produtos importados e a alta na taxação dos cosméticos, porque ainda se acha que cuidar da beleza, do bem estar e da autoestima é algo supérfluo. A elevação nos juros para financiamento da casa própria. Para quem tem filho em idade escolar, coloca ainda nessa lista cerca de 10% de reajuste em 2015 no material e na mensalidade.

Não sei se é um número cabalístico, mas quase tudo que eu conheço subiu cerca de 10%. O problema é que poucas pessoas tiveram 10% de reajuste nos salários. Se o orçamento não fecha, como equilibrar as finanças? Se não tem como aumentar a renda, só há uma resposta: cortar despesas que não sejam essenciais.

Cada família é um caso à parte, mas é necessário reunir todo mundo, debater as dificuldades e combinar a contribuição de cada um. Pode ser economizando energia, baixando a conta do celular, cortando lanches fora de casa, diminuindo o tempo de banho no chuveiro e por aí vai.

Para quem tem fé e acredita na tradição de que o bem sempre triunfa sobre o mal, já está na hora de firmar o pensamento e pedir para Deus mandar um WhatsApp para São Pedro, liberando a chuva, aliviando o nosso bolso e mandando Satanás para a Indonésia.

Gilberto Braga é professor de Finanças do Ibmec e da Fundação Dom Cabral

Últimas de _legado_Economia