Contracheque do Rioprevidência será digital para 260 mil servidores

O serviço estará disponível no novo site da instituição. Outra novidade é que será possível consultar contracheques dos últimos 23 anos

Por O Dia

Rio - O contracheque de 260 mil servidores aposentados e pensionistas do Estado do Rio vai se tornar digital a partir do próximo mês. O documento deixará de ser entregue em papel nas residências dos segurados. O serviço estará disponível no novo site do Rioprevidência, que será lançado na primeira semana da março. Outra novidade é que será possível consultar os contracheques dos últimos 23 anos.

A medida vai permitir uma economia de R$ 3 milhões por ano, que é o valor gasto com o envio dos contracheques pelos Correios. A redução já faz parte dos cortes impostos pelo governador Luiz Fernando Pezão em janeiro. Os decretos preveem diminuição nas despesas de até 20% por órgão estadual.

“É óbvio que o ganho é importante (R$ 3 milhões), a partir do momento que estamos partindo para esses cortes. Mas não queria tirar o mérito da evolução do serviço eletrônico”, defendeu Gustavo Barbosa, presidente do Rioprevidência. Segundo ele, o segurado que preferir o documento impresso poderá procurar uma das unidades físicas e solicitar o serviço.

Os contracheques deste mês ainda serão enviados pelos Correios, assim como o Informe de Rendimentos para declaração do Imposto de Renda. Pedidos de atualização cadastral e demais comunicados que envolvam auditoria continuarão sendo entregues via papel para o segurado em questão.

Outros dois serviços serão ofertados também a partir do próximo mês, declaração de PIS/Pasep e a Certidão de Nada Consta. De acordo com Gustavo Barbosa, ainda estão nos planos do Rioprevidência a emissão pela internet da Certidão de Tempo de Contribuição para este ano: “Todas são demandas muito importantes. Queremos investir cada vez mais nesse tipo de serviço online e na virtualização do atendimento.”

Mudanças à vista

O Rioprevidência já está finalizando as mudanças nas concessões de pagamento por pensão no estado. O governo vai enviar ainda neste semestre um projeto de lei para a Alerj com algumas alterações na lei de 2009. “O objetivo é buscar a implementação dentro de uma razoabilidade de tempo. Estamos discutindo pontos que em breve serão anunciados”, disse Barbosa.

Sem detalhamento

Questionado pela Coluna sobre quais mudanças estão por vir, se haverá por exemplo alteração na duração do benefício de pensão por morte, Barbosa preferiu não detalhar: “Está na Procuradoria Geral do Estado, na linha do que foi proposto pela União”. Segundo ele, o estado já cumpre determinações constitucionais, como pagamento de 70% do valor que exceder o teto do INSS.

Últimas de _legado_Economia