Por bferreira

Rio - Estar preparado para concurso público requer disciplina, empenho e planejamento. Aliadas a este tripé estão as estratégias de aprendizado. Especialistas do setor revelam a importância e a eficácia de algumas formas de assimilação do conteúdo. Entre eles, exercícios de provas anteriores, resumos, estudo em grupo, curso preparatório e participação em simulados.

Danielle Martins considera resumos e exercícios de provas anteriores os pontos chaves da preparaçãoDivulgação

Diretor pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella diz que existem muitas técnicas que auxiliam o candidato a fixar os conhecimentos estudados. “Há resumos, fichamentos, mapas mentais, marcação de textos e algumas técnicas de memorização. O candidato deve entender seu processo de aprendizagem. O autoconhecimento ajuda muito. O desempenho é medido aferindo os acertos e erros na resolução de questões de provas anteriores”, explica Estrella.

Márcio Coelho, professor de Língua Portuguesa da Academia do Concurso, destaca que em primeiro lugar é necessário que o estudante defina a carreira que pretende seguir. Coelho diz que caso o concurso não esteja aberto, deve-se basear no último edital. “O candidato deve estudar todos os itens do programa com muita atenção e por meio de vários exercícios”.

Sérgio Camargo, advogado especialista em concursos, destaca a importância do cursinho preparatório. Segundo ele, o candidato estabelece uma base sólida de conhecimento básico nas aulas e os professores ajudam a tirar dúvidas de conteúdos de maior dificuldade.

“O que servirá para que possa dar mais atenção, em seu horário fora do cursinho, para aprimorar pontualmente o que ainda não tenha assimilado em definitivo no curso preparatório”, informa.

Aluna da Academia do Concurso, Danielle Martins, 30 anos, estuda há três anos para concurso. Ela diz que gosta de aprender por meio da leitura de livros, mas considera fazer de resumos e exercícios os pontos chaves da preparação. “É o momento em que se fixa o conteúdo. Relendo e escrevendo tendo a aumentar a compreensão. Já fazendo provas anteriores ganho experiência para o momento”, conta.

OUTRAS FORMAS

ESTUDAR EM GRUPO
Paulo Estrella, da Academia do Concurso, aponta os prós e os contras. Entre os pontos positivos a motivação e o compartilhamento de conhecimentos. Estrella aconselha que o estudo em grupo deve ocorrer no início da preparação quando o candidato recebe um grande volume de matérias que nunca viu. “No entanto, quando a pessoa ficar mais preparada o estudo tem que ser individual, já que cada um vai estudar de acordo com suas fraquezas e deficiências”.

SIMULADO
Estrella diz que o simulado é o momento de o candidato testar seus limites e aprender o controle do tempo. “É a hora de cometer erros e corrigi-los. Serve para treinar a pessoa para a prova real sem que ela corra o risco. O simulado é indicado para os candidatos que já possuem um certo domínio teórico e já resolveram um grande número de questões de provas anteriores”.

QUESTÕES DE PROVA
"Refazer provas anteriores não apenas dá uma melhor noção da forma de avaliação da banca, como ajuda a sedimentar o conhecimento fazendo as questões repetidamente. Contribui ainda com o aprimoramento do candidato deixando a maior reflexão para os temas inovadores”, explica Sérgio Camargo, advogado especialista em concursos.

Você pode gostar