Por felipe.martins

Rio - A uma semana do início da entrega do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2015 — ano base 2104 —, a Receita Federal informou nesta segunda-feira que apertará a fiscalização sobre despesas médicas. A partir deste ano, o Leão vai exigir mais informações dos profissionais liberais que fazem o acerto de contas por meio do carnê-leão.

Profissionais como médicos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos e advogados passarão a ter de informar no documento, entregue mensalmente, os valores pagos por pessoas físicas e seus respectivos números de CPFs. A novidade ainda não impactará no IR deste ano, cujo o prazo de entrega termina no final de abril. Mas, a partir do ano que vem será uma forma maior de controle do Fisco sobre as pessoas físicas para evitar omissão de rendimento por parte dos profissionais liberais.

Assim, o órgão espera diminuir o número de contribuintes que caem na malha fina. Quando os contribuintes incluem uma nota fiscal com despesas médicas em sua declaração, com fins de dedução no IR e caem na malha fina, são chamados posteriormente a levar o documento ao órgão para comprovação do valor gasto.

“Queremos saber detalhadamente quais são os pacientes que compõem o rendimento total desses profissionais”, disse o subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita, Carlos Roberto Occaso.

O Fisco informou também que este ano o contribuinte poderá salvar ou compartilhar dos computadores da Receita informações online do programa gerador da declaração do IRPF para usar em diversos dispositivos e não apenas no adotado para preenchimento do documento. O objetivo é facilitar a vida do usuário, que poderá usar a chamada computação em nuvem — acesso a computador remoto. O programa gerador do IR estará disponível na segunda-feira, dia 2, a partir das 8h.

Você pode gostar