Fabricante de celulares mostra que podemos aprender muito em momentos de crise

Apesar dos tempos bicudos, todos na BlackBerry estão bastante otimistas

Por O Dia

Rio - Vamos supor que você tenha uma empresa que cresce muito e depois entra em crise. O que fazer? Desistir, jamais. Pois esse é o lema da BlackBerry, que em 2008 tinha 20% e hoje tem apenas 0,5% do mercado mundial de smartphones. Sempre podemos aprender algo com quem está disposto a se recuperar.

Apesar dos tempos bicudos, todos na empresa estão bastante otimistas. Motivo 1) a BlackBerry descobriu que seu talento, mais do que vender celulares, está no software — e está investindo pesadamente nisso. Motivo 2) novos modelos de aparelhos chegando ao mercado, e eles podem reconquistar os clientes das antigas — como o Barack Obama. 3) Os resultados financeiros ainda são preocupantes, mas a esperança continua.

E o que a gente pode aproveitar dessa história? O chefão da casa, John Chen, mostra que é possível ressuscitar empresas em dificuldades. O mais importante é tirar as gorduras e reforçar sua ‘vocação’ básica, e não ficar amarrando o passo, deixando que interesses de ocasião ganhem mais espaço que o comportamento do consumidor...

O consumidor manda! É como falo sempre: o mecânico é importante, claro, mas não adianta ele tentar derrubar o motorista, porque não vai levar o carro a qualquer lugar.

Certo é o seguinte: a BB descobriu que perdeu o bonde dos celulares por si. Mas mantém, com louvor, suas aplicações na área corporativa e, sobretudo, com segurança — que é um eterno ponto delicado. Por que não investir nisso, aproveitando-se não só da plataforma própria como também oferecendo para as concorrentes? Você mantém o nome rodando, não importa em que dispositivo. Muito bom. E tomara que dê certo. Afinal, a coisa anda feia para todos.

NOTAS

AHÁ! UHU!

A Edumobi ganhou na semana passada o prêmio de melhor inovação móvel para educação e aprendizado do Mobile World Congress, em Barcelona. É uma deferência bem especial, considerando que foi a única empresa brasileira contemplada entre as 39 categorias do prêmio.

VAMOS GANHAR A EUROPA

Empresas brasileiras de software vão invadir o mercado europeu. Essa é a intenção declarada da sexta edição do Rio Info Europa, que será realizado pela Riosoft de 18 a 22 de maio, na cidade do Porto, em Portugal. Vale a pena investir nessa empreitada. Mais informações e inscrições no site www.riosoft.org.br.

AS BOAS CASAS DO RAMO

A ‘Fortune’ acaba de divulgar a lista das empresas mais admiradas do mundo. A Apple está em primeiro lugar, seguida pela Google. Entre as dez principais posições, apenas essas duas e a Amazon (em quarto) são de tecnologia.

>>> Alô, prefeito Eduardo Paes: rolou semana passada, em Barcelona, o World Mobile Congress. O evento, que reuniu 90 mil pessoas discutindo tecnologia móvel, movimentou pelo menos 436 milhões de euros na cidade. Que tal a gente inventar algo parecido?

Últimas de _legado_Economia