Nelson Barbosa diz que concessões devem virar fato corriqueiro

Para o ministro, o leilão mostra as possibilidades de expansão da economia brasileira

Por O Dia

São Paulo - O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse nesta quarta-feira que as concessões à inciativa privada no setor de infraestrutura deverão se tornar corriqueiras nos próximos anos. Ele esteve no leilão de concessão da Ponte Rio-Niterói na Bolsa de Valores de São Paulo. “Tenho certeza que, com o governo fazendo a sua parte, viabilizando esses projetos, mais e mais concessões como essa vão acontecer”, disse após a divulgação do resultado da concorrência.

Para o ministro, o leilão mostra as possibilidades de expansão da economia brasileiraWilson Dias / Parceiro / Agência Brasil

A ponte será administrada pela Ecorodovias que ofereceu deságio de 36,67%. Com isso, a partir de 1º de junho a tarifa do pedágio caíra de R$ 5,20 para R$3,70. O contrato tem validade de 30 anos. A concessão anterior, que vence em maio, vigorou por 20 anos. A CCR, empresa responsável pela ponte atualmente, participou da concorrência, mas acabou ficando em último lugar entre as seis participantes do leilão.

Segundo o presidente da Ecorodovias, Marcelino Seras, a redução da tarifa será possível com o aumento do tráfego na via. “Na hora em que eu dou um desconto, eu induzo o tráfego”, destacou. O fluxo na ponte deverá ser impulsionado pelas obras de ligação com outras vias previstas no contrato de concessão. “Fazendo as obras, você tem um aumento de fluidez muito grande”, acrescentou.

Para o ministro, o leilão mostra as possibilidades de expansão da economia brasileira. “Esse evento mostra a dinâmica e o potencial da economia brasileira. Uma economia grande e diversificada. Tem grandes oportunidades de investimento. Tem vários players, vários agentes dispostos a fazer os investimentos”, destacou sobre a disposição do setor privado em investir em infraestrutura.

Entre as próximas concessões a serem anunciadas estão quatro rodovias, nos estados de Mato Grosso, Pará, Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná. Nelson Barbosa voltou a dizer que é intenção do governo passar para a administração privada os aeroportos de Salvador, Florianópolis e Porto Alegre.

Últimas de _legado_Economia