Por fernanda.macedo

São Paulo - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, apresentou alta de 0,96% na segunda prévia de março. A taxa mostra redução no ritmo de correção dos preços. Na primeira prévia do mês, o índice havia subido 1,03% e, no encerramento de fevereiro, 1,22%. O grupo habitação manteve-se na liderança da pressão inflacionária com variação de 1,59%. Na primeira prévia, o índice foi 1,73%.

Os alimentos também aumentaram com menos intensidade do que na última apuração, ao passar de 1,29% para 1,26%. Em transportes, a taxa atingiu 0,89%. Na primeira prévia, o índice foi 1,13%. No grupo despesas pessoais, cresceu a velocidade de correções, com alta de 0,01%. Na prévia anterior, o índice foi negativo: -0,04%.

Em saúde, também foi registrado avanço maior: a taxa passou de 0,11% para 0,35%. No grupo vestuário, foi mantido o movimento de queda de preços: o decréscimo corresondeu a -0,20%. Na prévia anterior, a queda correspondeu a 0,17%. E, em educação, houve diminuição de intensidade de alta: o índice passou de 0,24% para 0,17%.

Você pode gostar